Vereadores propõem lei para aumentar fiscalização de concursos públicos em Prado


A mudança na Lei Orgânica do Município (LOM) incluiria dispositivo exigindo a participação de uma comissão mista, composta por representantes da justiça, da Câmara de Vereadores, da administração pública municipal e de instituições públicas (não-governamentais e associações). A ideia é que essa comissão tenha acesso, no momento da realização das provas, aos gabaritos para serem assinados um a um, sala a sala.

A proposta foi apresentada pelo vereador Professor José Hilton (PSD) durante sessão da Câmara Municipal do Prado, realizada na manhã desta terça-feira (17). O autor, durante o período de preparação, ministrou aulas gratuitas para os candidatos do concurso público realizado no município. “Muitos investiram dinheiro, dias de lazer com a família e muitas noites de sono para participar do processo e, no caso de existirem provas de irregularidades, eles devem procurar a justiça e denunciar”, disse.

Antônio Eduardo Santana da Ressurreição (MDB), o conhecido ‘Professor Boloca’, questionou a lista de aprovação dos nomes com perfil pró-governo municipal ou engajados no grupo político da atual Prefeita do Prado, Mayra Brito. “A lista de aprovados no concurso público tem ampla maioria de quem já trabalha na administração pública municipal ou daqueles que balançavam bandeiras para a vitória da atual prefeita”, disparou.

Em defesa, o líder do governo da prefeita na Câmara de Vereadores do Prado, Roberto de Oliveira Brito (PP), conhecido como ‘Robertinho’, defendeu a transparência no processo. “Se tem irregularidades que acionem a justiça. Não podemos impedir as pessoas de recorrer aos seus direitos. O que não podemos é acessar o prejulgamento de pessoas sem as provas devidas. Na época do último concurso, fui pessoalmente no poder judiciário apresentar os fundamentos do processo aberto para sanar todas as dúvidas. Vocês viram no que deu. Isso ajuda a diminuir essa fama ruim sobre a realização de concurso público no município”, argumentou.

Para o Presidente da Câmara de Vereadores do Prado, Diógenes Ferreira Loures (PSL), mais conhecido como ‘Jorginho do Guarani’, a sugestão do colega em propor mais rigor é muito bem vinda. “Colocou as palavras certas, no momento certo. Tem muita gente que não estuda e chega para o vereador pra pedir ajuda em troca do voto. Isso é que coloca em dúvida esses concursos. Precisa acabar de fato. Sou a favor da mudança na lei”, se posicionou.

O município do Prado tem histórico duvidoso na realização dos concursos públicos. Os processos realizados nos anos de 1998 e 2010 foram postos sob suspeita, inclusive, com processos jurídicos de cancelamento de todo o certame.