Secretaria descarta intoxicação por óleo em turista de MG que teve manchas no corpo após banho de mar em Ilhéus


Caso aconteceu na cidade de Ilhéus — Foto: Arquivo Pessoal

Caso aconteceu na cidade de Ilhéus — Foto: Arquivo Pessoal

A Secretaria Municipal de Saúde de Ilhéus, no sul da Bahia, onde o turista de Minas Gerais sofreu manchas no corpo após tomar banho de mar, descartou nesta terça-feira (5) o quadro de intoxicação pelo óleo que atinge as praias do litoral nordestino.

De acordo com o boletim, o diagnóstico inicial de Anderson Gabriel é de queimadura de primeiro grau. Os exames feitos por ele não tiveram alterações e as costas dele apresentam quadro de descamação. Ele foi internado na segunda (4), no Hospital Regional Costa do Cacau após um mal-estar, com vômitos e náuseas.

De acordo com o coordenador da Vigilância em Saúde da cidade, Gleidson Souza, a queimadura não tem relação com as manchas de óleo que atingiram a cidade. Ele disse ainda que o turista já teve melhora no quadro de mal-estar nesta terça.

“A queimadura não tem relação epidemiológica com o óleo. O paciente não tem sinais de intoxicação clássico do petróleo, não teve nenhuma alteração nos exames. No momento ele está com bom estado geral, orientado, sinais vitais normais. Sem sinal de intoxicação”, descreveu Gleidson.

G1 questionou ao coordenador se há informação sobre o que causou a queimadura no turista. Segundo Gleidson, as causas da queimadura ainda estão sendo apuradas.

Em entrevista ao G1, no domingo (3), Anderson Gabriel contou que caminhava sozinho na praia quando decidiu tomar um banho de mar. O turista conta que ficou dentro da água por cerca de 40 minutos e saiu quando o corpo começou a arder.

“Eu estava fazendo uma caminhada na areia. Aí na hora que eu fui tomar um banho de mar, fiquei uns 40 minutos dentro da água. O meu corpo começou a coçar e queimar, e eu saí da água. Na praia eu não vi óleo, mas quando eu cheguei em casa, que eu fui tomar banho, começou a sair uma água escura [do corpo] e a bucha ficou muito oleosa”, lembrou Anderson.

O coordenador da Vigilância disse que a esponja usada por Anderson foi analisada, mas que vestígios de óleo não foram encontrados. Ele pontuou ainda que uma análise da água também está sendo feita.

O turista segue em observação no hospital e vai passar por novos exames com vários especialistas. Ainda segundo o boletim, ele poderia ter sido liberado ainda na segunda (4), mas o hospital resolveu mantê-lo internado por precaução, para controlar o que ele ingere e evitar uma possível intoxicação.

Turista de MG fica com manchas no corpo após banho de mar no sul da Bahia — Foto: Arquivo Pessoal

Turista de MG fica com manchas no corpo após banho de mar no sul da Bahia — Foto: Arquivo Pessoal

Outro caso

Ambientalista Claudia Santana passou mal quando estava trabalhando como voluntária recolhendo substâncias nas praia de Ilhéus — Foto: Reprodução/TV Santa Cruz

Ambientalista Claudia Santana passou mal quando estava trabalhando como voluntária recolhendo substâncias nas praia de Ilhéus — Foto: Reprodução/TV Santa Cruz

Além de Anderson, a secretaria de Saúde analisa também o caso da ativista ambiental Claudia Santana, que passou mal após trabalhar como voluntária recolhendo substâncias nas praia do município, também tem o caso sob análise.

Apesar disso, o caso de Anderson Gabriel é considerado isolado porque ele foi o único que teve manchas no corpo após banho de mar na região. Os resultados dos exames de Claudia ainda não foram divulgados. No caso da ativista dela, os sintomas foram de dor de cabeça, dor no estômago e enjoo.

Fonte G1 Bahia