Prado: Polícia Civil conclui investigações e elucida emboscada que matou jovem em Guarani


Prado: A Polícia Civil do Prado, liderada e comandada pelo delegado Kléber Gonçalves, chegou a autoria do homicídio que teve como vítima, Danilo Pereira de Jesus, que caiu em um emboscada e foi morto a tiros no dia 28 de novembro, em Guarani, distrito do Prado. Segundo a Polícia, uma cartucheira de fabricação caseira foi utilizada para cometer o crime. Logo após o homicídio, o delegado juntamente com sua equipe de investigação, começou a colher informações acerca do crime, e descobriu que dois indivíduos haviam sumido do distrito de Guarani, justamente no dia do crime.

A Polícia Civil descobriu que os indivíduos seriam Tauan e outro de vulgo “Railan”. No curso das investigações a Polícia Civil descobriu que os acusados haviam roubado um veículo Fiat/Uno, branco, e na ação usaram armas de fogo compatíveis com as usadas no crime contra Danilo. As investigações apontaram que os suspeitos estariam escondidos na Aldeia Monte Dourado, e ainda estavam usando o carro. O delegado Kléber e seus investigadores, juntamente com a Polícia Militar, realizaram diversas incursões e conseguiram prender a esposa de Tauan, identificada como Geliane.

A jovem foi presa com as armas usadas no crime e também uma porção de “maconha”. A Polícia, então, pôde identificar e qualificar os acusados, sendo eles Tauan Gasparino de Paula e Erlan dos Santos, vulgo “Railan” ou “Grilinho”. Após a prisão da Geliane, os acusados do homicídio resolveram fugir, e tentaram ir para Eunápolis, mas, foram alcançados e presos em Itabela, ainda com o Uno roubado. Então, na última quarta-feira, a Polícia Civil cumpriu o mandado de prisão preventiva em desfavor dos homicidas, mandado esse que foi requerido pelo delegado titular do Prado.

Os acusados vão responder presos pelo crime, e ainda em Itabela foram interrogados e negaram o crime, mas, a Polícia encontrou diversas divergências entre os interrogatórios, e isso permitiu a conclusão do inquérito policial com o indiciamento dos acusados. Segundo Kléber Gonçalves, as investigações sobre o roubo do Fiat/Uno continuam, pois, existe a possibilidade da participação de outros dois elementos no crime. A Delegacia do Prado manteve o empenho e êxito deixado pelo delegado Júlio. E o trabalho do delgado Kléber Gonçalves ganha reconhecimento no Prado, onde a população vê uma Polícia Civil atuante e com êxito nas ações.