Prado: Os voluntários na luta contra a grande mancha de óleo que atingiu o distrito de Cumuruxatiba


Enquanto uma grande quantidade de manchas de óleo avança pelas praias de Cumruxatiba, no município de Prado, quem depende do mar e do turismo para sobreviver tem experimentado uma mescla de sentimentos. De um lado, desespero e revolta. De outro, medo, tristeza e dor. Mais do que o impacto inegável que as manchas negras causam, os moradores de Cumuruxatiba vivem um pesadelo que parece que não tem hora para acabar.

Desde às 5:40, as mensagens não pararam de apitar no celular. As manchas de óleo cru que atingiu na manhã desta quinta-feira (14) várias praias de Cumuruxatiba, deixou um sentimento de tristeza nos rostos dos moradores.

A maré alta da madrugada carregou pra cima dos corais o óleo cru que invade o litoral do Nordeste desde 30 de agosto. As areias estão cobertas pela lama negra e as pelotas sólidas de óleo boiam nas piscinas naturais.

Previamente preparados, os voluntários foram direto à praia. Ali, ficaram horas sob o sol forte, a uma temperatura de 30º C — com sensação mais elevada —, envolto num cenário carregado de manchas de petróleo.

“O mar é minha vida. Não posso ficar vendo esse cenário de horror e não fazer nada. Eu tô há dias sem dormir direito, acordo e já venho logo para a praia, antes estávamos retirando apenas fragmentos, mas hoje infelizmente chegou essa grande quantidade de óleo”, disse uma moradora.

Amigos e voluntários formaram um grupo no aplicativo whatsapp chamado “Cumuru sem óleo”. O grupo foi criado com o objetivo de monitorar as praias, caso o óleo chegasse à comunidade de Cumuruxatiba.

No perfil do Instagram, o Grupo Cumuru Sem Óleo, alertam sobre a importância de que os voluntários se protejam para participar da limpeza. É preciso usar luvas, botas, calças, camisas de manga comprida, pás, peneiras e máscara. Com um detalhe: como o contaminante libera vapores ao ser aquecido pelo sol, o ideal é uso de máscara para gás, ainda que a máscara para poeira já ajude.

Mesmo com o sentimento de tristeza os voluntários acreditam na força da união e que tudo será resolvido. Os trabalhos da retirada do óleo, vão continuar nesta sexta-feira (15).