NHT da 8ª COORPIN elucida homicídio de “Pé de Mapa” e remete inquérito policial para a Justiça


Teixeira de Freitas: O Núcleo de Homicídio e Tráfico da 8ª COORPIN concluiu o inquérito policial do homicídio consumado, ocorrido no dia 14 de abril deste ano, entre a Rua “D” e a Rua “J”, no Bairro Residencial Ramalho, cuja vítima identificada como sendo Adriano Oliveira dos Santos, o “Rato” ou “Pé de Mapa”, foi brutalmente assassinado com 51 facadas pelo corpo. Segundo as investigações, o motivo teria sido a cobrança de uma dívida, tendo os autores sido identificados como Uenes da Luz de Oliveira, o “Nego Uenes”, 28 anos de idade e um adolescente de 16 anos de idade.

Na ocasião do crime, os delegados Maderson Souza e Gean Nascimento realizaram o levantamento cadavérico e deram início às investigações. Após os procedimentos de praxe, o caso seguiu para o NHT, aos cuidados do delegado Manoel Andreetta, o qual promoveu o desenvolvimento das investigações junto à Equipe do NHT, quando então, soube-se que, na madrugada do dia do crime, a vítima participado de uma festa aberta ao público, ocorrida no Bar Point do Leal, no Bairro Ulisses Guimarães, local onde teria ingerido bebidas alcoólicas em excesso, e havia se envolvido em uma discussão com o Uenes e seu sobrinho adolescente.

O motivo da discussão teria sido desavenças e ameaças de morte, advindas da cobrança de uma dívida oriunda da compra de um cordão de prata que a vítima teria adquirido do autor, no valor de R$ 150,00. Após a discussão ocorrida na Festa, tio e sobrinho se armaram com duas facas de cozinha e saíram atrás da vítima Adriano, com o claro objetivo de mata-lo, utilizando a motocicleta Honda NXR 150 BROS, de cor branca, de propriedade de “Nego Uenes”. Quando o tio e o sobrinho encontraram o Adriano, passaram a golpeá-lo a esmo com as facas, atingindo-a por várias vezes.

Os autores do crime confessaram espontaneamente e sem qualquer tipo de constrangimento a prática do delito, apresentando as armas utilizadas para cometerem o crime. O procedimento foi devidamente finalizado, saneado e relatado pelo delegado Manoel Andreetta. Os dois acusados encontram-se à disposição da Justiça.