Marcos Valério e ex-sócios são condenados no mensalão mineiro


O publicitário Marcos Valério e os ex-sócios Ramon Hollerbach e Cristiano Paz foram condenados pela Justiça de Minas Gerais por lavagem de dinheiro e evasão de divisas, no chamado mensalão mineiro. A punição para cada um é de nove anos e dois meses, além do pagamento de multa no valor de 250 salários mínimos (cerca de R$ 181 mil). O Ministério Público Federal (MPF), em Belo Horizonte, divulgou a informação nesta sexta-feira, 7 de março.

mvaleriomm620

 Os crimes aconteceram entre os anos de 1998 e 2000, sendo descobertos durante investigações realizadas pela Força-Tarefa Banestado. Segundo a denúncia do MPF, os réus promoveram a saída clandestina de recursos financeiros do país, em montante superior a US$ 628 mil (cerca de R$ 1,4 milhão). Os investigadores identificaram mais de 20 transferências em que a empresa comandada pelos acusados foi beneficiária, ordenante e/ou remetente das divisas.

A juiza responsável pelo caso lembrou que o crime de lavagem de dinheiro no contexto do esquema ficou conhecido como mensalão mineiro, “uma estrutura organizada para favorecer a chapa composta por Eduardo Azeredo (PSDB-MG) e Clésio Andrade (PMDB-MG)  na campanha ao pleito de governador de Minas Gerais no ano de 1998, por meio do desvio de verbas públicas e obtenção de recursos privados, em cuja implementação eram peça-chave as empresas dos réus.”

Segunda condenação de Valério

Esta é a segunda condenação de Marcos Valério no processo do mensalão mineiro. No último dia 14 de fevereiro, a Justiça Federal em Minas Gerais condenou o publicitário a quatro anos e quatro meses de prisão por corrupção ativa. Valério ainda cumpre pena de mais de 40 anos por envolvimento no escândalo similar petista, do qual foi considerado o “operador”.

Por SRZD

Os comentários estão desativados.