Jovem é preso após matar os pais com golpes de facão


A Justiça converteu nesta terça-feira, 2, para prisão preventiva o flagrante de Marcus Vitor Sousa Bezerra, de 22 anos, suspeito de matar os pais Raimunda da Conceição Souza e Rinaldo Vitor Bezerra com golpes de facão, na segunda-feira, 1º. Ele foi encaminhado para o Complexo Penitenciário da Mata Escura. A polícia investiga a motivação do crime.

O assassinato com toques de crueldade aconteceu no início da tarde da segunda, dentro de uma casa que a família usava como veraneio na região de Coqueiros de Arembepe, em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). Os corpos das vítimas foram encontrados com muitos cortes e com os membros amarrados em lençóis.

Como se o crime não fosse o bastante, Marcus ainda incendiou a casa com os corpos dos pais dentro. No entanto, vizinhos perceberam a fumaça e acionaram os bombeiros. As vítimas foram localizadas após as chamas serem contidas.

O rapaz fugiu, mas deixou o carro da família estacionado na frente do imóvel. Algumas horas depois, Marcus apareceu na casa em que morava com os pais, na rua Dr. João Carlos Cavalcanti, no bairro de Santa Cruz, em Salvador.

“Ele chegou em um táxi por volta das 22h, de mochila, todo suado e nervoso dizendo que faria uma viagem. Mas as pessoas descobriram o que ele tinha feito com os pais e começaram a agredi-lo. Ele merecia morrer pelo que fez”, declarou uma moradora, em tom de revolta.

Violência recorrente

Uma vizinha que, por medo, optou por não revelar seu nome, contou que Raimunda já tinha sido agredida pelo filho. “Ele arremessou um copo contra o rosto dela uma vez  e a cortou toda. Os motivos? Drogas, além de bebidas. Ele  ficava muito agressivo. Ele tem que pagar pelo que fez”, falou.

A tentativa de linchamento de Marcus foi interrompida por uma guarnição da PM, que o socorreu para o Hospital Geral do Estado (HGE), na avenida Vasco da Gama,. O suspeito foi preso assim que teve alta, nesta terça. “Eram pessoas boas, trabalhadoras. Nunca os tinha visto em confusão –  pelo contrário, sempre davam conselhos”, lamentou uma popular.

Fonte: Atarde