‘Há muitas pessoas que não se incomodam’, diz promotor sobre nepotismo no Extremo Sul da Bahia


Não é de hoje que as prefeituras baianas são usadas ao bel-prazer pelos grupos políticos que as assumem. Basta uma rápida consulta nos sites dos municípios para reconhecer um sobrenome comum a prefeitos e vereadores. E por aí entram mãe, pai, filhos, tios, primos, sem necessidade de concurso nem de qualificação técnica.

Segundo o promotor de Justiça Pedro Taques, esse tipo de condição faz toda a Bahia ser um dos estados onde o nepotismo tem mais casos em relação ao resto do Brasil. O promotor diz que, ao contrário da corrupção clássica feita pela propina e pelo superfaturamento, de obras e serviços, o nepotismo é mais tolerado pela população.

Pedro Taques acredita que haja “uma cultura disseminada”. O promotor também conta como as ações contra o nepotismo chegam e são encaminhadas pelas promotorias.

Com informações do Bahianotícias