“Foi acidente, atirei sem querer”, diz Israel sobre tiro que matou a jovem Tayara em Teixeira


Teixeira de Freitas: Na manhã desta segunda-feira, 30 de outubro, a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), liderada pela delegada Viviane Scorfield, juntamente com a 8ª COORPIN, sob o comando da coordenadora Valéria Chaves, apresentou à imprensa o acusado, Israel Amorim de Castro, autor do feminicídio que vitimou a jovem Tayara Santos Monteiro, 18 anos de idade, que era companheira e mãe do filho do autor. O crime aconteceu na madrugada do dia 13 de agosto, no Bairro Nova Teixeira, onde, após ser baleada, Tayara foi socorrida ao HMTF, mas devido à gravidade do ferimento, não resistiu e veio a óbito.

O caso foi registrado no Plantão Territorial e encaminhado à DEAM, que identificou o autor, colheu provas e pediu a prisão preventiva de Israel. Segundo a delegada Viviane, Israel e Tayara participaram de um Baile Funk no dia 12, e foram para casa na madrugada do dia 13, e por Israel ter dançado com algumas meninas no baile, Tayara estava irritada. Segundo a delegada, Israel disse em depoimento que havia bebido e usado drogas no baile, e após uma discussão Tayara pegou a sua arma e caminhava na direção dele em posse da arma de fogo (pertencente ao Israel), que deu um chute em Tayara. A jovem caiu, ele se apossou da arma e deu um tiro na cabeça dela.

Em entrevista à nossa equipe de reportagem, Israel disse que após ter atingido Tayara, ligou para sua mãe, que é enfermeira e pediu socorro. “Acidente, atirei sem querer, tomei dela e na reação atirou”. Israel ainda confessou que teria bebido, mas, não disse sobre o uso de drogas. Sobre as drogas e munições encontradas com ele no dia da sua prisão, que foi realizada pelos investigadores da DEAM, com apoio da 8ª COORPIN, o acusado disse que não tinha nada a ver com as drogas e nem com as munições. A delegada esclareceu ainda, que após ceifar a vida de Tayara, Israel fugiu de carona com um caminhoneiro para Fundão no ES.

Chegando ao destino da fuga, Israel disse que deu a arma usada no crime para o caminhoneiro, como forma de pagamento pela carona. A delegada afirmou que desde o recebimento do caso, a DEAM trabalhou no homicídio e buscava o autor. Com isso, o crime está elucidado, com autoria e motivação definidas, e além do cumprimento do mandado de prisão preventiva pelo feminicídio contra Tayara, Israel foi flagranteado por tráfico de drogas e posse de munição de uso restrito. A delegada ainda afirmou que a DEAM trabalha buscando sempre o apoio irrestrito à mulher, e não apenas em caso envolvendo feminicídio ou agressões físicas, mas nos demais casos que envolvam mulheres.

“Trabalhamos também em casos onde mães são vítimas de filhos ou filhas; avós vítimas de netos, que abusam da confiança para usurpar cartões e gastar aposentadorias e benefícios; ou até namoradas ou esposas que têm suas fotos ou intimidades vazadas na internet por companheiros covardes. A DEAM atende de segunda a sexta-feira, em horário administrativo e recebe todas as ocorrências registradas no Plantão da Delegacia Territorial, disse a delegada.

Por: LiberdadeNews