Cerca de 75% dos Municípios da Bahia vão demitir funcionários para fechar contas


Cerca de 75% das prefeituras do estado da Bahia decidiram demitir funcionários municipais porque estão sem recursos nos cofres públicos e dificuldade para realizar o pagamento da folha mensal, em estratégia para conseguir fechar as contas do final de ano.

Preocupados com a situação dos municípios baianos, prefeitos baianos realizaram protesto na quarta-feira (26) em Salvador.( Foto: CORREIO).

Com a chegada dos últimos meses de 2017, e sem expectativa de aumento da receita, além das demissões de funcionários, a União dos dos Municípios da Bahia (UPB), estima que 50% dos prefeitos de cidades baianas não devem conseguir pagar o 13º integralmente, o que é um direito do trabalhador.

As demissões, que foram iniciadas no mês de agosto deste ano, quando os os prefeitos notaram dificuldades para fechar as contas do município e efetuar o pagamento dos salários, têm consequências sociais, especialmente em pequenas cidades do interior do estado, onde o serviço público municipal representa a maior fonte empregatícia.

Os gestores também temem ultrapassar o valor constitucional instituído de gastos com funcionários (54% da receita total), principal fator que leva à rejeição das contas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), pois com contas públicas reprovadas, além de pagar multas, eles ficam inelegíveis.
Com Informações do Correio