BOMBA: Prefeita Mayra Brito, faz Pagamento de 104.442,45 MIL, e a Obra do Palácio do Turismo de Prado não é Vista


Depois de usar como  plataforma política o atrasado da construção do Palácio do Turismo “Emenda da Deputada Alice Portugal” e até levantar suspeita de possível desvio de verbas pelo governo anterior, a prefeita Mayra Brito (PP), efetuou um pagamento no último dia 12 de março de 2013 no valor de 104.442,45 mil, dinheiro esse que já estava em conta dês do final do ano passado (2012), mesmo com a obra paralisada.

Pagamento do Convenio

pagamentos

Segundo informações do portal do convenio a caixa econômica federal aponta a obra com percentual de mais de 36% de realização restando ao prestador de serviço retoma La e concluir, o que não se sabe por que a mais de 2 meses foi efetuado o pagamento e a obra ainda não foi retomada pelo prestador o que se viu recentemente foi uma ação da própria prefeitura a pedido de um vereador em sessão para realizar a limpeza do prédio e a retirada dos tapumes destruídos.

pagamentos3

A emenda parlamentar da deputada federal Alice Portugal para o equipamento palácio do turismo e de R$ 975.000,00 mil, mais uma contra partida de R$ 19.897,96 mil da prefeitura sendo esse supra citado o terceiro pagamento da obra e o primeiro feito pela gestão atual da prefeita Mayra Brito ficando claro ser essa uma tentativa frustrada de minimizar a péssima avaliação que seu governo vem tendo junto aos munícipes e região.

6

Resta saber qual será a postura do governo atual quanto as demais obras herdadas do governo anterior (Creche modelo, Arena Multi-Uso,  dentre outras),  que possui em  conta hoje valores aproximados de 400.000,00 mil em  conta da caixa econômica federal.

2(419)

Por Claydson Motta/Fonte: www.convenios.gov.br/siconv

Vereadora Professora Bruna, apresenta projeto contra o Bullying nas Escolas Publicas e Privadas, e ataca o Governo da Prefeita Mayra Brito


Durante a sessão ordinária na Câmara do Prado, na última segunda-feira (20) de maio, a vereadora Bruna Giorno (PCdoB)  apresentou um Projeto de Lei contra o Bullying nas escolas públicas e privadas do município. A proposta prevê a capacitação dos professores para a prevenção e solução de problemas envolvendo essa prática. ” Eu como Educadora não poderia de mencionar que a gravidade do que vem acontecendo nas escolas desse município, isso não apenas se refere as escolas publicas, porquê “Bullying” se refere à qualquer classe social, Queremos, com isso, evitar que aconteçam situações mais graves”, ressalta. A proposta prevê atuações tanto na área de prevenção, quanto de atendimento às vítimas.

vereadora bruna

Entre as ações previstas, está a capacitação de docentes, da equipe pedagógica e dos servidores das escolas para que eles possam atuar prevenção dos casos. Além disso, também deverão ser realizados trabalhos, junto aos envolvidos, visando a recuperação da autoestima, do desenvolvimento psicossocial e da convivência harmônica no ambiente escolar e social. O projeto ainda define como bullying, a prática de atos de violência física ou psicológica, de modo intencional e repetitivo, exercida por indivíduo ou grupos de indivíduos, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de constranger,
intimidar, agredir, causar dor, angústia ou humilhação à vítima.

sessão na camara

Segundo o projeto, caberá à Secretaria Municipal de Educação de Prado elaborar políticas de conscientização, prevenção, diagnóstico e combate ao “bullying” para as unidades escolares, bem como o seu constante acompanhamento, respeitando as medidas.

A vereadora Bruna Giorno, teve apoio de seus colegas parlamentares, e foi direta ao falar que espera que dessa vez, a prefeita Mayra Brito não vete por motivos fúteis ou pessoal, o projeto contra o Bullying, ” Desta vez eu espero que a Prefeita Mayra Brito, não vete esse projeto, por motivo fúteis, porque afinal de conta bullying, é uma ação violenta, e é uma ação que está ceifando vidas, e vidas que ainda estão em desenvolvimento, espero a sensibilidade tanto dos meus colegas, quanto a da prefeita para que olhem para esse projeto, não de maneira pessoal, mais de maneira legal “, disse.

Bruna Giorno também usou a tribuna para falar da saúde na cidade de Prado, segundo ela a população vem reclamando, do mau atendimento que vem recebendo, sem água para beber e até mesmo apelidando o Hospital Jonival Lucas de Açougue, ” Nós observamos que esse Hospital hoje, está sendo apelidado de açougue, isso é muito grave, eu recebi uma denúncia de uma determinado morador, que ele disse “Professora no Hospital não tem água”, e se a gente quiser beber água tem que levar de casa, água de péssima qualidade”, disse.

A vereadora Bruna também fez questão de frisar, que a falta de água, não ocorre somente no hospital, mais nas escolas, ” Pelo o que estou percebendo isso não é só uma realidade no hospital, é uma realidade também nas escolas, porquê os professores desse município, estão tendo que fazer “vaquinha”, para comprar água para beber”, ressalta.

Bruna mostrou um documento que prova que os professores estão tendo que colaborar para comprar água para beber, ” Eu tenho aqui um documento de que eu não estou mentindo e nem quero polemizar nada, mais eu acho uma vergonha, colaboradores da água a partir de Abril”, disse. O documento que foi apresentado pela vereadora, estava colado na parede do Colégio Municipal Anísio Teixeira, segundo a vereadora se esse caso  não for resolvido, a mesma vai levar para o poder público.

A vereadora estava afiada, segundo ela não há remédios e marcações de exames na cidade, e nos distritos de Prado, está uma vergonha, ” Não está tendo remédio, marcações de exame está uma vergonha, temos exemplos aqui, que não marca isso, não marca aquilo, tem alguma coisa errada”, disse a vereadora.

Na oportunidade a vereadora comentou o caso da Unidade de Pronto Atendimento 24hs, à UPA,  não estar aberta, “Essa história da UPA, de que não tem dinheiro, que a UPA é isso, que o gasto da UPA é 200 e tantos mil e só vem 100 mil, eu gostaria de deixar “claro” aqui, todo mundo sabe que para qualquer programa, que vem para esse município, deve haver a contra-partida do município, o problema que esse GOVERNO, só quer administrar só com o recurso Federal, e não quer botar a mão no recurso próprio, aqui desse município, para fazer a educação andar, à Saúde andar tudo andar, GOVERNAR só com o recurso e dinheiro Federal é Fácil, contra-partida do município tem que existir, se na UPA gasta 200 mil e vem 150 mil, que pegue 50 mil de recurso próprio e aplique em Saúde”, Ressalta.

upa

Outro caso ressaltado pela a vereadora Professora Bruna é o caso do lixo Milionário, e que o governo da prefeita Mayra Brito quer enganar e tapar a boca do povo, ” É muito vantajoso e digno para o Governo,  do que está fazendo Assistencialismo, para tapar a boca do povo, com relação com essa política que eu estou vendo aqui feitas comemorações, ao invés de está investindo dinheiro publico a onde deve se investir, agora não tem dinheiro pra nada, e o lixo MILIONÁRIO, á UPA fechada, as pessoas morrendo, e o açougue aberto”, disse.

Bruna se mostrou extremamente abismada com os fatos ocorrido na cidade, e apresentou vários requerimentos. a próxima sessão na Câmara Municipal foi marcada para o dia 27 de maio.

Por Claydson Motta/PradoNotícia

 

 

 

 

Vereador Gilvan Produções, Acusa Prefeita Mayra Brito de não reabrir a UPA


Na manhã dessa segunda-feira (20), na câmara de vereadores de Prado, aconteceu mais uma sessão ordinária, a sessão foi presidida pelo parlamentar Alfredo Golthier, o “Alfredinho”, que solicitou a leitura da ordem do dia com diversos requerimentos realizados pelos colegas parlamentares.

gilvan

Após a leitura a palavra foi franqueada, que teve o primeiro discurso usado pelo vereador Gilvan Produções (PCdoB), que questionou sobre o abastecimento de água nos distrito de Limeira e a implantação de uma antena para ampliação do sinal de celular na comunidade. Além  da reabertura da UPA e da solicitação de um dentista para o PSF 9, localizado no Bairro São Bras.

gilvan produções

O vereador Gilvan Produções (PCdoB), foi bem claro e transparente, ao falar que o governo da prefeita Mayra Brito, não se preocupa em nenhum momento com a reabertura da Unidade de Pronto Atendimento 24Hs (UPA 24hs), segundo o vereador, essa falta de preocupação da prefeita, com a população Pradense, é referida ao Hospital Jonival Lucas. ” Eu não sei porque, esse governo da prefeita Mayra Brito, não tem interesse em reabrir a UPA, o motivo deve ser o Hospital Jonival Lucas, que tem como diretora a sua Cunhada”disse. Gilvan Produções deixou uma pergunta no ar, “De quem seria o Hospital?. Os populares que se faziam presente na Câmara Municipal, em alta voz Gritaram do “Wilson Brito”.

O vereador estava afiado! Na oportunidade Gilvan Produções, foi firme  com o vereador Paulo Monte, o suposto líder da bancada,  “A administração, através de seu líder de bancada o Vereador Paulo Monte, disse que iria reabria a UPA e até agora não aconteceu isso” disse o Vereador Gilvan Produções.

1

O vereador Gilvan, convidou a secretária de Saúde Bárbara Feitosa, a comparecer na próxima sessão, para prestar esclarecimento à população Pradense, ” “Gostaria de pedir que o Presidente da Câmara enviasse um oficio a Secretária de Saúde a senhora Bárbara Feitosa para comparecer na próxima sessão, para dar maiores explicações à população sobre o porquê de manter fechada a UPA, se a mesma não estiver com tempo ou não tiver coragem pode mandar o Vice-Prefeito Fabiano Rodrigues já que é ele que fala pela Saúde de nosso Município”, disse.

upa

O convite foi feito para a Secretária de Saúde Bárbara Feitosa, agora resta saber se a mesma vai comparecer a próxima sessão na Câmara de Vereadores no próximo dia 27 de maio.

Por Claydson Motta/PradoNotícia

 

 

 

Roque do SESP não apoia mais Ângela Souza


Nessa sexta-feira (18) de maio, Roque recepcionou  Pedro Tavares na cidade de Ilhéus, livre do vínculo com a deputada estadual Ângela Sousa (PSD), o vereador Roque do Sesp (PSC) caiu nas graças do deputado Pedro Tavares, do PMDB.

roque-pedro-tavares
Depois que a direção estadual do PSC decidiu que o partido em Ilhéus não seria mais controlado pela Deputada Ângela, tanto o  Vereador Roque, quanto o seu colega de legenda, Fábio Magal, buscaram novos aliados.
Por Redação/PradoNotícia

Projeto de Lei que fere seis leis federais é aprovado, mas passa apertado na Câmara de Prado


Na sessão do dia 6 de maio, o Projeto de Lei 003/2013 de autoria do Executivo pradense que modifica o anexo da Lei Municipal número 254/2010, introduzindo modificação nos requisitos de formação necessária para ocupar o cargo de Coordenador de Vigilância Sanitária foi votado e aprovado em primeira discussão pela grande maioria dos vereadores.

prado11(4)

O Projeto determina que a exigência para assumir o cargo será apenas ter nível superior, não precisando ser na área da Saúde. Dos 11 vereadores, sete votaram a favor (Jorginho (PTC), Augusto Rodrigues (PP), Moreia (PSD), Robertinho Brito (PP), Paulo Monte (PSB), Tadeu Soares (PTC) e Mario Junior (PDT) e dois se posicionaram contrários ao Projeto de Lei (Gilvan Produções (PC do B) e Professora Bruna (PC do B)). Como o presidente só vota em caso de empate, o vereador Alfredinho não se manifestou.

Na sessão desta segunda-feira (13/05), o vereador Mario Junior (PDT), filho do ex-vereador Mario da Cepral, que havia se posicionado contrário ao Projeto e depois votado a favor na primeira votação, não se fez presente, por isso não participou da votação. Pra complicar, o vereador Tavares que se absteve de votar na primeira votação, desta feita se posicionou contrário ao Projeto e, o vereador Robertinho, que foi a favor do Projeto na primeira discussão, lembrou-se de seu discurso feito ainda no início desta legislatura e acabou voltando atrás, se posicionando contra o projeto.

O resultado disso foi uma votação apertada, mas o PL 02/2013, que só tem uma finalidade, dar, a prefeita Mayra Brito (PP), a condição de colocar no cargo de Coordenador de Vigilância Sanitária, a pessoa escolhida por ela, acabou aprovado em segunda e última votação por 5 votos contra quatro. Votaram pelo capricho da chefa do Executivo os vereadores Jorginho (PTC), Augusto Rodrigues (PP), Moreia (PSD), Paulo Monte (PSB) e Tadeu Soares (PTC).

Por Cassio Marchesini – Cocobongo

Vereadores aprovam projeto sobre coordenador da Vigilância Sanitária


Os vereadores do município do Prado votaram na sessão ordinária, realizada na manhã desta segunda-feira, dia 13, o Projeto de Lei N.º 02/2013, de autoria da Prefeita Mayra Brito (PP). Por maioria simples, o projeto foi aprovado. O placar foi 5 a 4.

votaram_no_projeto

O projeto introduziu modificação no requisito de formação educacional, para quem ocupa o cargo de Coordenador da Vigilância Sanitária. A nova redação da lei passa a vigorar, permitindo a contratação de profissional de várias áreas do ensino superior.

votaram_contra

Os vereadores, Roberto de Oliveira Dias, o ‘Robertinho’ (PP) e Felipe Tavares (PTC), que na primeira votação, se manifestaram favoráveis, na segunda e última votação, mudaram de opinião. Os dois acompanharam a decisão dos colegas Gilvan da Silva Santos, o ‘Gilvan Produções’ e Bruna Giorno, a ‘Professora Bruna’, ambos do PCdoB.

Por Diógenes Marques Cunha

Vereadores do Guarani falam do projeto que prevê emancipação do distrito


Os vereadores no município do Prado, Alfredo Gonthier de Almeida, o ‘Alfredinho’ (PSC) e Diógenes Ferreira Loures, o ‘Jorginho’ (PTC), comentaram o Projeto de Lei Complementar N.º 416/2008, que tramita no Congresso Nacional e prevê a emancipação, incorporação, fusão e desmembramento de municípios, em todo o país.

alfredinho

O distrito de Guarani, em território pradense, seria um dos beneficiados pelo projeto para o processo de emancipação, beneficiando os moradores daquela localidade, ao tornar nova cidade – da região de Corumbau, no litoral, ao povoado de Limeira. Todo este território passaria à pertencer ao novo município.

Segundo ‘Alfredinho’, o processo de emancipação é um sonho antigo dos moradores de Guarani, desde o ano de 1982, quando surgiu a ideia da população daquela época, que viviam num distrito com grande pujança econômica – fruto de operações da Brasiolanda e de outras empresas, ligadas ao ramo de madeiras, com fábricas instaladas naquela localidade.

“Isso para nós é uma grande satisfação. Temos orgulho em estar agrupados às famílias pradenses, mas se isto vier a acontecer, nosso povoado, assim como Corumbau e limeira, que farão parte deste processo, ficaremos muito contentes”, destacou.

jorginho

Para o vereador ‘Jorginho’, a emancipação de Guarani vai permitir o surgimento de uma nova sede administrativa, com a geração de novos empregos para o povo daquela região, à ser ocupado na nova prefeitura, secretarias, Câmara de Vereadores, dentre outros, permitindo ao distrito do Guarani ter vida própria.

ENTENDA O PROJETO
De acordo com o Projeto de Lei N.º 416/2008, o procedimento para criação, incorporação, fusão e desmembramento de município será realizado no período entre a posse dos Prefeitos e Vice-Prefeitos e o último dia do ano anterior ao da realização de eleições municipais. Se o procedimento não for concluído neste período, anulam-se todos os atos e começa tudo novamente, a partir da posse dos novos prefeitos, seguindo a mesma regra.

Antes de ser declarado novo município, é preciso que sejam feitos Estudos de Viabilidade Municipal, que tem por fim o exame e a comprovação da existência das condições que permitam a consolidação e o desenvolvimento dos municípios envolvidos.

Em seguida a Assembleia Legislativa Estadual precisa homologar o estudo e solicitar ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) a realização de plebiscito, para que ao menos 10% da população, se manifeste favorável à emancipação. O plebiscito ocorrerá, preferencialmente, em conjunto com as eleições federais e estaduais, imediatamente após a edição do ato legislativo que o autorizar.

Se aprovado em plebiscito, a Assembleia Legislativa Estadual deve aprovar a lei criando o novo município. As eleições para escolha de prefeito e vice-prefeito acontecem nas próximas eleições municipais. Enquanto não forem eleitos e empossados o prefeito, o vice-prefeito e os vereadores, o novo município continua administrado pelo município de origem.

Por Diógenes Marques Cunha

TRE acolhe recurso e por 6×0 mantém prefeito Márvio Mendes em Nova Viçosa


O TRE – Tribunal Regional Eleitoral, em Salvador, julgou numa sessão que terminou às 18h desta terça-feira (07/05), o processo nº 499/12, em que acolheu totalmente o recurso e as alegações orais defendidas pelo advogado Fernando Vaz, julgando improcedente por 6 votos a 0, a ação judicial eleitoral e reformou a decisão da justiça da 35ª Zona Eleitoral que cassava o registro de candidatura do prefeito Márvio Lavor Mendes (PMDB), porque os juízes do TRE entenderam que não houve abuso de poder político e nem econômico por ocasião das convenções partidárias na cidade de Nova Viçosa.

Márvio-Mendes_217x266

A coligação “Nova Viçosa Continuando o Trabalho”, formada pelos partidos PMDB, PRB, PP, PTB, PSL, PSC, PSDC, PRP, PSD, PC do B e PT do B, que trouxe o então vereador Márvio Lavor Mendes como candidato a prefeito e Célio Oliveira Ferreira, o “Célio da Farmácia” como candidato a vice-prefeito, teve o registro cassado dos seus candidatos pela justiça eleitoral na tarde de segunda-feira, do dia 1º de outubro de 2012, por crime de abuso de poder econômico e a ação atingiu também o então prefeito de Nova Viçosa, Carlos Robson da Silva “Robinho” (PMDB), que teve decretada a sua inelegibilidade por 8 anos.

 

A ação de pedido de cassação de registro de candidatura da chapa foi movida pelo Ministério Público Eleitoral, em face à distribuição para eleitores de 1.000 camisetas pintadas com as cores, marca e número do partido do candidato no dia da convenção partidária do PMDB que consagrou a candidatura de Márvio Mendes, em 30 de junho de 2012. O promotor de justiça eleitoral Fábio Fernandes Corrêa entendeu na ocasião que o partido extrapolou na distribuição das camisetas, quando apenas poderia identificar os 137 delegados da legenda e não brindar o público convidado ao evento, também com as camisetas.

 

Quando o juiz eleitoral Leonardo Santos Vieira Coelho, da 35ª Zona Eleitoral da comarca de Mucuri e Nova Viçosa, acolheu a denúncia e julgou procedente o pedido formulado pelo Ministério Público Estadual, constituindo a inelegibilidade dos representados e cassou a candidatura de prefeito e vice. Mas uma liminar de efeito suspensivo expedido pelo juiz relator Saulo José Casali Bahia, despachou decisão na quarta-feira seguinte (03/10/2012), provocado por uma ação cautelar, com pedido de liminar, ajuizada pelos candidatos Márvio Lavor Mendes, Célio Oliveira Ferreira e o prefeito Carlos Robson Rodrigues da Silva, objetivando a atribuição de efeito suspensivo ao recurso que interpuseram contra decisão proferida pelo Juízo da 35ª Zona Eleitoral.

 

Na sua decisão na época, o juiz relator do TRE permitiu ao candidato sub judice continuar a realizar propaganda eleitoral e ter seu nome inserido na urna eletrônica. E estabeleceu com base no art. 15 da LC nº 64/90 que narra que apenas depois de transitada em julgado ou publicada a decisão proferida por órgão colegiado que declarar a inelegibilidade do candidato é que o seu registro será cancelado, ou declarado nulo o diploma, se já expedido. Deste modo, ficou evidente que os efeitos da inelegibilidade e da cassação do registro não poderiam se manifestar enquanto não apreciado o recurso por aquele colegiado. E nesta terça-feira (07), o TRE julgou improcedente a denúncia numa votação unânime ao considerar que os convencionais vestidos nas camisetas do partido não ficou caracterizado crime de abuso de poder econômico. Agora, os adversários do prefeito Márvio Mendes, se desejarem, só podem recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília.

Por ASCOM

 

De família Humilde, Trabalhador e Honesto, Vereador Gilvan Produções Fala do seu Passado


Prado: Nessa segunda-feira (06), na Câmara Municipal de Prado, o vereador Gilvan Produções (PCdoB), usou a tribuna para esclarecer o fato ocorrido na ultima sessão no dia 22 de Abril, onde foi questionado pelo vereador Taveres (PTdoB), dizendo que Gilvan era um digitador e hoje é um empresário . Dando a entender que o colega teria subido na vida por conta de atividades não lícitas.

gilvan produções 3

Em seu pronunciamento o vereador Gilvan iniciou afirmando que não cabia mais falar sobre o que ocorreu na última sessão, até porque ele já tinha conversado com o colega, esclarecendo que questões pessoais não devem ser debatidas na Câmara, no entanto, talvez sem mensurar a dimensão do que estava falando, o colega acabou mexendo com o brio de seus familiares e com a honra de seus pais, “por isso, mesmo depois de conversar com o colega, resolvi falar hoje para me defender”, explicou.

Visivelmente emocionado, o vereador lembrou de sua infância sofrida, família simples,  numa casa humilde e desde muito cedo teve que trabalhar para ajudar no orçamento familiar. Ele contou que já aos nove anos de idade vendia geladinha e cocada, trabalhou como auxiliar de serviços gerais em um supermercado, foi balconista em uma padaria, trabalhou na construção civil, já vendeu bebidas geladas durante os carnavais da cidade, e, só então se tornou um digitador. Desde 2000 começou a atuar na área de eventos, chegando a realizar eventos em Prado e nas cidades vizinhas de Alcobaça e Caravelas.

gilvan-produções1

Atualmente, Gilvan Produções está prestando um serviço a uma empresa que vai implantar um camarote na festa em comemoração ao aniversário de emancipação política e administrativa da cidade de Teixeira de Freitas, “às vezes as pessoas julgam os outros sem saber a realidade da situação, eu sei que é difícil para alguém que vem de classe alta ver uma pessoa de família humilde crescer na vida, mas isso é possível sim, basta ter vontade e trabalhar sem desistir”, disse, citando personalidades que vieram de famílias pobres e conseguiram crescer como o ex-presidente Lula e o empresário Silvio Santos.

gilvan produções 2

O vereador aproveitou para protestar contra a “perseguição” imposta a ele pelo governo municipal da prefeita Mayra Brito (PP). Gilvan contou que ia realizar um evento no sábado de aleluia e foi impedido pela Prefeitura que, embargou a festa cobrando um alvará que nunca foi cobrado de ninguém em toda a história do município, “a festa era em ambiente fechado, não era em logradouro público, isso é perseguição, eles me querem do lado deles, mas eu já falei, sou negro, sou de família humilde, mas tenho caráter, não vou me vender nem me render a nenhum tipo de pressão”, desabafou Gilvan Produções.

Gilvan apresentou vários requerimentos, solicitando quebra-molas para a Rua Wilson Alves da Silva e Avenida Itamaraju; iluminação pública para o bairro São Braz e limpeza para uma Rua do Bairro São Braz que segundo o próprio vereador está tomada pelo mato. “Pelo que essa empresa está recebendo para prestar o serviço de limpeza pública, era pra cidade está toda limpa”, disse, acrescentando que a maior parte dos bairros periféricos da cidade está tomada pela sujeira e pelo mato.

Vereador Felipe Tavares renuncia o cargo de vice-presidente da Câmara de Prado


Na manhã dessa segunda-feira (06), uma atitude nobre, chamou a atenção do povo Pradense, o Vereador Felipe Tavares  (PTdoB), renunciou ao cargo de vice-presidente da Câmara Municipal de Prado.

felipe-tavares

Indignado tudo leva a crer que Felipe Tavares estaria insatisfeito com a forma que a Prefeita Mayra Brito (PP), vem administrando a cidade de Prado, o vereador deu uma satisfação aos cidadãos que tem procurado a ele em busca de uma oportunidade de emprego, afirmando que ele fez sua parte, foi até a prefeita, conversou com ela e pediu, por diversas vezes, mas não obteve êxito, “só quero que as pessoas que me trouxeram currículos entendam que o vereador não tem o poder de empregar ninguém”, esclarece.

felipe-tavares1

Quando anunciou a sua renúncia, o Vereador Tavares disse que não poderia continuar no cargo insatisfeito, disse também que está na Câmara para representar pessoas como ele, que tem sangue correndo nas veias e não outra coisa, pessoas que esperam ser valorizadas sem mediocridade, sem perseguição aos mais humildes, que olhem a competência do ser humano antes de humilhá-lo.

felipe-tavares2

Felipe Tavares, logo em seguida ao renunciar a cadeira de Vice-Presidente da Câmara Municipal, foi aplaudido por populares que se faziam presentes na sessão!

Por Redação/PradoNotícia