Novo texto de decreto do Cadastro de Especialistas fecha acordo entre governo e entidades médicas


Foi concluída nesta sexta-feira (21) a revisão do decreto que insitui o Cadastro Nacional de Especialistas, que teve o texto rediscutido em Grupo de Trabalho instituído na semana passada após acordo entre entidades médicas, parlamentares e governo.

189d2e0c60e8a7055bd12dfd17d0d9d3

O colegiado formou-se em acordo conduzido pelo ministro da Saúde, Arthur Chioro, que tirou da pauta de votações da Câmara um projeto da oposição que tentava sustar o decreto. O Cadastro Nacional de Especialistas servirá de base de dados para a formulação e execução do Programa Mais Especialidades.

Segundo o deputado Jorge Solla (PT-BA), membro do grupo que redigiu o novo decreto, os pontos em que o texto deixava dúvidas e causou debate entre as entidades médicas foram reescritos.

“Algumas redações ficaram mais claras, objetivas, deixando ainda mais transparente a intenção única e exclusiva da presidente Dilma de apenas criar um banco de dados único que ajude a planejar a abertura de vagas de residência, sem que isso signifique queda na qualidade ou nas horas-aula, ou mentira parecida que a oposição tentou inventar para tentar barrar o Mais Especialidades”, afirmou Solla.

O parlamentar elogiou a participação dos representantes da Associação Médica Brasileira (AMB), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e Federação Nacional dos Médicos (Fenam) e Associação Social dos Médicos Residentes (ANMR).

“As reuniões foram muito produtivas e conseguimos avançar em coisas que antes não estavam contempladas no decreto, como a institucionalização da Comissão Mista de Especialidades, que já existia, mas numa figura jurídica frágil, através de convênio”, destacou Solla. A comissão reúne poder público e entidades médicas e tem a atribuição de definir sobre a abertura de novas vagas de residência no país.

Por Assessoria de Comunicação

Vice-prefeito dr. Fabiano e deputado Valmir Assunção participam de reunião no assentamento Rosa do Prado


O vice-prefeito de Prado, dr. Fabiano, e o deputado federal Valmir Assunção participaram, no último domingo (16/8), do aniversário de 22 anos do assentamento Rosa do Prado – interior do município.

20150821171721

Na ocasião, Valmir conversou com assentados e, entre os muitos pontos abordados, informou que o vice-prefeito irá mesmo se filiar ao PT de Prado. “Há meses tenho conversado com o Fabiano sobre a ideia de ser filiar ao partido e, agora, estamos cada vez mais perto de oficializar a sua entrada”, disse o deputado.

Aos presentes, o vice-prefeito disse que “chega ao partido para somar”.“Irei me filiar ao PT de Prado porque aprendi desde cedo com meu pai a olhar pela causa dos que mais precisam. Ele passou 40 anos atendendo aos mais humildes e, assim como ele, farei o mesmo. Conversei muito com o Valmir sobre essa decisão e vejo que esse é o melhor caminho”, afirmou o vice-prefeito.

O ato de filiação, que oficializará a entrada de Fabiano no PT, está programado para as próximas semanas.
A reunião na Rosa do Prado contou com a presença do ex-coordenador regional e agora dirigente da nacional do MST, Ivanildo Costa; do jornalista Márcio Hack, do ex-vereador Robério, Dé Corretor e Jailson Silva.

Por Redação

Lideranças políticas de Prado estariam se filiando ao PR


Segundo informações, lideranças políticas conhecidas pelo povo Pradense, estão indo para o Partido da República (PR).

Ainda segundo informações um dos nomes seria, Brenio Pires de Oliveira, que permaneceu por vário anos no Partido Progressista (PP), e traz consigo a disputa nas eleições de 2008, onde foi candidato a prefeito e obteve 5.718,00 votos válidos.

page
Possíveis nomes que estariam indo para o PR. Brenio e Cacau

Outro possível nome que estaria indo para o PR é, Carlos Roberto de Medeiros, o Cacau, o mesmo já foi vereador em Prado, Secretário de Administração, e tem uma extensa ficha de serviços prestados na cidade.

A ida destas duas lideranças polícias, teria o apoio de Wilsinho Brito, de acordo com informações, a posição dos novos membros do partido, reforçaria de forma circunstancial o PR, transformando definitivamente o partido da República numa grande força política no município pradense, e fortaleceria ainda mais o nome da prefeita Mayra Brito.

Por Claydson Motta | Prado Notícia

Prado: Vereador propõe operação tapa-buracos na avenida do “Farol”


O site Prado Notícia voltou, na manhã desta terça-feira (18), a acompanhar a sessão na câmara de vereadores de Prado.

Com a casa vazia, com poucas pessoas na galeria, o vereador da oposição,  Gilvan Produções (PROS), apresentou uma indicação que propõe à Prefeitura Municipal de Prado a realização de operação tapa-buracos na Avenida José Fontes de Almeida, mais conhecida como “Avenida do Farol”.

camara_prado

Segundo Gilvan, os buracos na avenida tem trazido aos moradores de Prado, diversas avarias em seus veículos e também nos ônibus que realizam o transporte público coletivo municipal dos bairros.

“Recebi diversas reivindicações de reparos na avenida José fontes de Almeida, a “Avenida do Farol”, como é mais conhecida, pois os buracos estão cada vez mais profundos e perigosos, deixando a situação de nós moradores ainda mais crítica”, afirmou o parlamentar.

page

O vereador espera que a Prefeitura, através de seus departamentos competentes, possa tapar os buracos e atender às reivindicações dos moradores da cidade.

Por Claydson Motta | Prado Notícia

Vereadores desistem de pedir saída de padre que sugeriu redução salarial


Os vereadores de Mauá da Serra, no norte do Paraná, desistiram nesta segunda-feira (17) de pedir a saída do padre da cidade, após o sacerdote dizer em uma missa que os parlamentares recebiam salários muito altos. No município, os atuais vereadores recebem salários de R$ 3 mil, mas se reúnem apenas uma vez por semana na Câmara, para votar projetos de interesse da sociedade.

20150817200807

Na sessão desta segunda, os vereadores resolveram cancelar uma audiência que teriam com o bispo, para falar sobre a atuação política do padre Porto de Jesus. A iniciativa foi motivada, em muito, pela pressão popular, que resolveu abraçar a causa do padre. Para o religioso, os parlamentares deveriam receber salários abaixo de R$ 1 mil.

Com a Casa cheia durante a sessão, os parlamentares apresentaram um projeto de lei para reduzir os subsídios que a próxima legislatura vai receber. De acordo com a proposta, os salários atuais seriam reduzidos de R$ 3 mil para R$ 820. Já o projeto de lei deve ser analisado pelas comissões da Câmara, antes de seguir para a votação no Plenário.

A sessão foi tumultuada e houve confusão entre alguns moradores e os parlamentares. Uma vidraça do prédio da Câmara chegou a ser quebrada. Uma pessoa ficou ferida com os estilhaços, Ninguém foi preso.

Outras cidades
A onda de pedidos para a redução de salários dos vereadores já conseguiu resultados em outras duas cidades da região norte do Paraná. A primeira foi Santo Antônio da Platina, onde os vereadores vão receber R$ 970 a partir da próxima legislatura. Atualmente, eles têm um subsídio de R$ 4 mil.

Já na cidade vizinha, Jacarezinho, os moradores continuam lutando para que seja aprovado um projeto que baixe os salários dos parlamentares dos atuais R$ 6,2 mil para um salário mínimo. A pressão, que fez o presidente da Câmara ir embora de camburão, já deu resultado parcial. No dia 10 de agosto, os vereadores aceitaram um projeto que reduziria os subsídios para R$ 4,3 mil.

Em Curitiba, um estudante de direito também busca uma redução de 90% nos salários dos vereadores que, atualmente, recebem cerca de R$ 15 mil. De acordo com a proposta dele, a ideia é que os parlamentares da capital paranaense recebam apenas R$ 1,5 mil. O projeto tem feito sucesso na internet, mas ainda é criticado pelos vereadores.

Por G1

Vereador Robertinho parabeniza Prefeitura pelas iniciativas na área do esporte


O vereador Roberto de Oliveira Dias, o ‘Robertinho’ (PP), se manifestou na manhã desta terça-feira (18), em mais uma Sessão na Câmara de vereadores de Prado, para parabenizar os trabalhos que a Prefeitura vem desempenhando na área do esporte.

camara_prado
Vereador Robertinho (PP), Foto: Claydson Motta

Segundo  ele, as reformas em Quadras Poliesportivas do município, incentivam os cidadãos à prática de exercícios que trazem à vida das pessoas qualidade física e emocional, além de propiciar o convívio social, trabalho em grupo e valores morais.

20150818094726
Seleção Pradense, Foto: Wesley Morau

Robertinho ainda parabenizou, a prefeita Mayra Brito, por estar apoiando a Seleção de Futebol de Prado, que hoje disputa o Campeonato Intermunicipal de Futebol Amador da Bahia. Ainda de acordo com o vereador, no governo anterior o esporte na cidade era abandonado.

Por Claydson Motta | Prado Notícia

Cadê o povo? Salão vazio da Câmara revela desencanto da população Pradense com a política


O site Prado Notícia voltou, na manhã desta terça-feira (18), a acompanhar a sessão na câmara de vereadores de Prado. O cenário não pode ser mais desolador. Plenário frio e plateia ausente esse foi o cenário.

O público habituado a acompanhar as sessões da Câmara dos vereadores de Prado raramente vê o plenário da casa cheio.

_DSC6644

A participação efetiva da população pradense nas atividades políticas da cidade permite o conhecimento do que se passa na câmara de vereadores, tornando possíveis as cobranças, propositura de leis, denúncias de irregularidades, etc. possibilitando escolhas mais adequadas durante as eleições, no sentido de evitar que tomem posse como prefeito ou vereadores, pessoas sem qualificação técnica ou moral para assumir responsabilidades perante a sociedade.

camara_prado (2)

A participação do povo é muito importante, mais para isso tem que haver um incentivo por parte dos vereadores convocando a população através de site e divulgações por meios de comunicação ou talvez um horário que a população possa comparecer. Afinal  durante o dia, o povo pradense precisa trabalhar para sustentar a família!. Ou será que os nobres vereadores “NÃO” querem a presença da população???.

Quando as pessoas despertarem para a necessidade de “gostar” do envolvimento com as atividades políticas, talvez a cidade comece a mudar e a palavra política não seja apenas sinônimo de corrupção,  vantagens pessoais, nepotismo e outros conceitos deletérios.

camara_prado

A ação política de cada cidadão seja no aspecto público ou privado influencia em tudo a nossa volta. O simples fato de jogar  papel no chão da rua já é um indicativo de comportamento inadequado que somado a outros tantos que agem da mesma forma, tendem a desencadear no pensamento coletivo, que isso é um comportamento aceitável. Transportem esse exemplo para a política e tudo será um desastre.

Fica uma pergunta no ar; A sessão na Câmara não seria melhor a  noite, um horário que o povo pradense pudesse acompanhar os trabalhos dos nobres vereadores?. Viver em sociedade é assumir responsabilidades!

Por Claydson Motta | Prado Notícia

Protestos do dia 16 vão poupar Cunha e focar em impeachment, dizem lideranças


protesto-de-12-de-abril-de-2015-1428875117519_615x300Os três principais movimentos que lideram os protestos anticorrupção – Movimento Brasil Livre (MBL), Revoltados Online e Vem Pra Rua – não se deixam distrair pelo risco de serem criticados por uma suposta “indignação seletiva”. O objetivo das manifestações convocadas para este domingo será essencialmente um: derrubar a presidente Dilma Rousseff .

Nem mesmo os recentes relatos de delatores do esquema de corrupção da Petrobras de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, teria recebido US$ 5 milhões de propina (R$ 17,5 milhões), fazem os líderes dos protestos titubearem.

O peemedebista é visto como um aliado na implementação de um processo de impeachment e por isso deve ser poupado no dia 16. É Cunha quem tem o poder de decidir pôr em votação na Câmara um pedido de impeachment da presidente.

“O que nós concordamos com o Vem para Rua e o Revoltados Online é que o mote geral da manifestação deve ser realmente o ‘Fora Dilma'”, afirmou à BBC Brasil Fábio Ostermann, um dos líderes do MBL.

Para Ostermann, “misturar as pautas” interessa ao PT, que tenta transformar Cunha num “bode expiatório”.

“Claramente, não está funcionando. É importante ter senso de prioridade nesse momento. Se o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, tiver suas contas a acertar com a Justiça e com a população, isso vai se dar na hora certa. Certamente não é o dia 16 de agosto”, acrescentou.

O líder do Revoltados Online, Marcello Reis, vai na mesma linha. Ele diz que nenhum político corrupto será poupado pelo movimento, mas que no momento o foco é no governo federal.

“Não queremos passar o vagão na frente da locomotiva. Então, todas as conversas que tivemos com Cunha sempre foram pela apresentação do impeachment [de Dilma].”

“É um protesto específico pela saída da presidente, seja [por meio de] impeachment, cassação ou renúncia”, disse, resumindo o objetivo do dia 16.

Rogério Chequer, do Vem pra Rua, afirma que as manifestações se concentram no impeachment e no fim da corrupção, mas que devem atingir com mais força os petistas.

“Eu acho que as críticas vão ser maiores na relação com os fatos que têm sido revelados e comprovados. O PT já foi condenado por caso de 2005 [Mensalão].”

Apesar da oposição declarada ao governo Dilma, Cunha tem declarado publicamente que não vê base jurídica para o impeachment, até mesmo se o Tribunal de Contas da União recomendar a rejeição das contas federais de 2014. Isso porque agora trata-se de um novo mandato da presidente.

Os movimentos contam com as mobilizações de domingo para mudar esse quadro.

“Acredito que o dia 16 vai mudar o quadro político. Se for maior que os protestos de março, político tem medo do povo. Com certeza na semana seguinte teremos novidade, ou o Cunha vai votar o impeachment ou a Dilma vai baixar a crista e renunciar”, defende Reis.

E o depois?

Apesar do objetivo comum de derrubar a presidente, as principais lideranças do movimento não têm consenso sobre qual o caminho a seguir depois disso.

Reis, do Revoltados Online, diz que, caso o vice-presidente, Michel Temer, assuma no lugar de Dilma Rousseff, o movimento também pedirá também seu impeachment.

“Acredito que Temer seja cúmplice de todos os roubos do PT. O PMDB não está livre da culpa, não. Caso venha uma estratégia de sair Dilma Rousseff e entrar Temer, nós também vamos pleitear a saída do Temer”, disse.

Já Ostermann, do MBL, e Chequer, do Vem Pra Rua, dizem que Temer seria a saída “constitucional”.

Eles não apostam no caminho de uma cassação da chapa Dilma-Temer pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), porque o julgamento das contas da campanha eleitoral da chapa petista tende a ser um processo longo, dada a possibilidade de recursos que o direito à defesa garante.

Se a chapa fosse cassada com menos de dois anos de mandato, novas eleições seriam convocadas. Esse é o cenário preferido do senador tucano, Aécio Neves, que acredita que ganharia um novo pleito, após ter sido derrotado na eleição de 2014.

“Nós temos que ir para a solução constitucional. Não acho que é questão de apoiar o Temer ou não, é o que temos para hoje, por causa da Constituição. Nós vamos respeitá-la. O que o Temer vai fazer, eu não sei. A gente vai ver o que ele vai fazer”, disse Chequer.

“Você vai me perguntar: você gosta do Temer, apoia o Temer? Claro que não. Até porque quem elegeu o Temer vice foram as mesmas pessoas que elegeram a Dilma. Mas nós temos o procedimento constitucional que precisa ser respeitado”, afirma Ostermann, para quem Aécio está sendo “oportunista”.

Apesar de não declararem apoio à estratégia do presidente do PSDB, os líderes dos movimentos veem com bons olhos o apoio do partido às manifestações.

A legenda está usando as inserções a que tem direito na rede aberta de TV para convocar a população para o protesto do dia 16 – mas sem fazer referência aos pedidos de impeachment.

As lideranças tucanas estão divididas sobre a questão, e por isso o partido não se manifestou oficialmente a favor da medida. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o governador de São Paulo Geraldo Alckmin são contra.

Alckmin está mais interessado em disputar as eleições para presidente de 2018 contra o PT. Já Serra, embora não tenha se posicionado publicamente, estaria articulando assumir como ministro na Fazenda num eventual governo Temer.

As lideranças do PSDB na Câmara e no Senado, o deputado Carlos Sampaio e o senador Cássio Cunha Lima, têm se manifestado abertamente pela saída da presidente. Ambos são alinhados com Aécio.

“Amigos, dia 16 de agosto, vamos voltar às ruas de todo o país não mais para protestar e exigir mudanças. Agora vamos pedir o impeachment da Dilma [sic] responsável maior por um governo corrupto, mentiroso e incompetente!”, escreveu Sampaio no Facebook, dia 23 de julho.

Contra Dilma ou contra todos?

Apesar do forte discurso anticorrupção, as manifestações tem apresentado um claro viés antigoverno e anti-PT desde as primeiras edições em março e abril, acredita Pablo Ortellado, professor do curso de Gestão de Políticas Públicas da USP.

Ele vem acompanhando de perto os protestos realizados de São Paulo e conduziu uma pesquisa sobre os manifestantes que compareceram à avenida Paulista em abril.

Os questionários revelaram um forte sentimento contra o sistema político em geral, mas que acaba sendo verbalizado com mais força contra o governo federal.

Entre os entrevistados, 73% disseram não confiar em qualquer partido.

“Esse caráter antigoverno já estava muito marcado nos dois primeiros protestos. A corrupção era um motivo pelo qual ele era antigoverno”, notou.

“Nossa pesquisa apontou para uma descrença muito generalizada no sistema político, mas tendo foco específico no governo federal como uma exemplificação máxima desse desgaste da representação política.”

Por causa disso, observa Ortellado, as lideranças dos protestos “tentam desenhar essa tática de desgastar a Dilma por meio do Cunha, um político sobre quem recaem mais suspeitas de corrupção do que sobre ela”.

Para o cientista político da USP Álvaro Moisés, é natural que o governo federal e a presidente sejam os principais alvos dos protestos.

“Em qualquer situação política no Brasil, o foco principal é o governo. O Executivo é quem tem mais poder, tem uma máquina administrativa inteira a seu dispor. É claro que, quando você tem o crescimento de uma perspectiva antipolítica, o primeiro lugar que o protesto foca é o Executivo, é natural”, afirma.

“Não acho que seja uma escolha seletiva: vamos focar na presidente mas não vamos focar no presidente da Câmara. É evidente que quem está no governo central tem muito mais exposição do que quem está em cargos que, embora importantes, têm menos visibilidade”, acrescentou.

Por UOL

Prefeitura de Prado realiza 3ª Conferência Municipal de Saúde


DSC_7028

Gestores, trabalhadores da saúde e usuários do SUS participam da 3ª Conferência Municipal de Saúde, que está sendo realizada na Câmara Municipal, em Prado.

DSC_7042

Na abertura, o Secretário de Saúde, Luciano Mota, falou sobre a evolução da Saúde no município na gestão Mayra Brito. “Assumimos com o compromisso de melhorar e valorizar a saúde pública em Prado, acabar com o descaso com que eram atendidos os usuários e seus familiares”, disse o secretário. “Iniciamos uma caminhada que inclui, a qualificação no atendimento e de melhoramentos em relação à rede de saúde. Vencemos a questão das diferenças partidárias em nome de um bem maior, que é a valorização da saúde pública no município”, finalizou.

DSC_7069

O secretário municipal da Administração, Robson Matos, reforçou a importância do evento e da produção de um relatório final que represente de fato as prioridades do município. “Essa conferência, mostra o alcance que têm as reflexões e os trabalhos em grupo que realizaremos aqui”, disse.

DSC_7118

De acordo com a prefeita Mayra Brito, a conferência municipal atingiu as expectativas de público e de conteúdo. “Elegemos boas propostas e também reunimos contribuições para o relatório municipal, que trará os subsídios para construção do Plano Municipal de Saúde. Todo o movimento de trabalhadores do SUS é importante para demandar as reivindicações de interesse da saúde pública”, avaliou a prefeita.

DSC_7138

“Sabemos das dificuldades do nosso município. Sabemos dos tantos atrasos nos repasses de recursos do governo federal. Vivemos hoje uma crise de nível nacional, mas, em momento algum, nossa equipe tem baixado a cabeça para as dificuldades. Os problemas, quando vêm, são para crescermos juntos.” finalizou Mayra Brito.

DSC_7009

Por Claydson Motta | Prado Notícia

Bernardo Olívio se reúne com moradores do distrito de São José para discutir demandas locais‏


O prefeito de Alcobaça, Bernardo Olívio, esteve na noite da última sexta-feira (17/7), em São José, para discutir com a comunidade as necessidades locais do distrito.

2 (1)

Assuntos como troca de lâmpadas dos postes, capina de ruas, reposição de medicamentos, manutenção do campo de futebol e limpeza da caixa d’água da escola Ulisses Guimarães foram apresentados ao prefeito como prioridades.

Atencioso, Bernardo ouviu as solicitações e já deixou acertada a realização de um mutirão nas próximas semanas.

“Estamos há 2 semanas realizando um mutirão na sede e, assim que for concluído, irei deslocar nossa equipe da Secretaria de Obras para cá”, afirmou Bernardo.

1 (3)

O prefeito ainda esclareceu sobre a questão da queda do sinal de celular no distrito, que durou apenas 7 dias.

“Infelizmente, uma queda de energia danificou o equipamento que custa R$ 9 mil. Se fôssemos esperar pelas operadoras ou pela Coelba, ficaríamos meses sem o sinal. Nós já tínhamos encomendado e estávamos aguardando chegar. Acredito que até aqui o mais difícil fizemos ao custear toda a estrutura para instalação da torre. Não seria esse aparelho que iria atrapalhar. Mesmo assim, precisamos de um tempo para resolver”, afirmou.

Em Alcobaça, além do São José, outras duas comunidades foram beneficiadas com torres de sinal de celular. São elas: Canta Galo e Pouso Alegre.

Por ASCOM – Alcobaça