Por falta de ambulância idoso é socorrido em carrinho de mão


Segundo algumas publicações que repercutiram fortemente nas redes sociais, o caso aconteceu na noite deste último domingo, dia 8 de abril, logo após um idoso, que teria ingerido bebida alcoólica, ter sofrido uma queda na cidade de Medeiros Neto e como o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), não teria atendido ao chamado, populares resolveram socorrê-lo num carrinho de mão.

Há informações não oficiais que no momento a equipe do SAMU do município atendia outra ocorrência de acidente próximo ao distrito de Nova Lídice. Também há informações que por praxe as equipe do SAMU não atenderiam pessoas alcoolizadas, apesar de ninguém ter essa confirmação em relação ao ancião vítima da queda.

O idoso foi identificado como João Cordeiro dos Santos, que não teria sofrido fraturas, foi medicado e recupera-se bem. Além do SAMU, existiriam duas ambulâncias do município que ficariam no Hospital Municipal de Medeiros Neto, justamente para esse tipo de atendimento. O problema estaria na impossibilidade da população fazer contato rápido com os motoristas desses veículos.

O Hospital Municipal, bem como a Prefeitura de Medeiros Neto, não divulgaram nenhuma informação oficial sobre o ocorrido.

Fonte LiberdadeNews

Neto confirma a candidatura de Zé Ronaldo ao governo da Bahia


O prefeito ACM Neto confirmou ao Bahia Notícias neste sábado (7) que Zé Ronaldo, ex-prefeito de Feira de Santana, será o candidato a governo do Estado pelo DEM.

Zé Ronaldo anunciou a renúncia ao cargo de prefeito na manhã deste sábado e ainda não havia divulgado se iria se candidatar ao Senado ou ao governo. O anúncio oficial deve ser feito em alguns minutos, durante coletiva em Feira de Santana.

Mototaxistas de luto: Morre em Teixeira “Ronaldinho Mototáxi” ex-presidente da AMI


Na última quarta-feira, 04 de abril, veio a óbito no Hospital Sobrasa, Ronaldo Campos Rocha, o popular “Ronaldinho Mototáxi”, mototaxista e ex-presidente da Associação dos Mototaxistas de Itamaraju (AMI).

Segundo Tiago Marques, atual presidente da AMI, Ronaldinho lutava pela vida desde o dia 01 de abril, e estava internado no Hospital Sobrasa. A morte de Ronaldinho foi confirmada no fim da noite e causou grande tristeza na população itamarajusense.

Ronaldinho teve complicações de um quadro grave de desidratação severa. O caso foi registrado na sede da Delegacia de Polícia Civil e o corpo de Ronaldinho foi removido para o IML de Teixeira de Freitas, onde será submetido à necropsia nesta quinta-feira, 05 de abril.

Ronaldinho, que era praticante do ciclismo, deverá ser velado e enterrado em Itamaraju, mas, nossa equipe busca essas informações. A AMI encerra a nota dizendo: “Todos os mototaxistas, ciclistas e amigos se solidarizam com a família neste momento de grande tristeza”.

Por: Rafael Vedra/Liberdadenews

Justiça permite que prefeitos de Porto Seguro, Eunápolis e Cabrália retornem aos cargos


O Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF1), em Brasília, devolveu os cargos a Cláudia Oliveira (PSD), Robério Oliveira (PSD) e Agnelo (PSD) às prefeituras de Porto Seguro, Eunápolis e Santa Cruz Cabrália. Os três gestores foram afastados em novembro por determinação da Justiça e por tempo indeterminado.

De acordo com a decisão tomada pela segunda seção do TRF-1, nesta quarta-feira (4), os prefeitos voltam assim que pagarem uma fiança equivalente ao valor de 10 salários mínimos, aproximadamente R$ 10 mil. O pedido inicial, era de que os políticos pagassem o referente a 20 salários mínimos por cada crime cometido. Os prefeitos estão sendo investigados pela Operação Fraternos por desvio de verbas públicas. Segundo o voto do desembargador Olindo Menezes, os gestores “já foram punidos o suficiente com o afastamento de 5 meses”.

O magistrado defendeu que Cláudia, Robério e Agnelo ainda não foram denunciados e, portanto, não devem pagar pelos supostos crimes de desvio de verbas públicas. “5 meses e não se formalizou uma acusação? Não tem denúncia?”, questionou outro desembargador do TRF-1. “É prematuro achar que essas pessoas cometeram esses crimes. Essas pessoas merecem medidas cautelares, mas não precisamos carregar muito na mão”, completou Menezes antes de votar a favor da redução do valor da fiança.  De volta aos cargos, os prefeitos irão aguardar a formalização de uma denúncia.

PT quer a Polícia Federal investigando ataque a tiros à caravana de Lula


Em entrevista à Rádio Bandeirantes, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), também repudiou o ataque à caravana de Lula na Região Sul do país.
A bancada do PT na Câmara dos Deputados reagiu hoje (28) aos ataques a tiros à caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entre os municípios de Quedas do Iguaçu e Laranjeiras do Sul, no Paraná, na terça-feira (27). Em entrevista coletiva, os deputados Marco Maia (RS), Paulo Teixeira (SP) e Celso Pansera (RJ) anunciaram que o partido vai pedir a entrada da Polícia Federal na investigação, que classificaram como “atentado político”. A bancada também vai entrar com uma ação na Procuradoria-Geral da República para pedir a elucidação do ataque.
“Não foram tiros de intimidação para o alto, mas direcionados contra os ônibus da caravana e que poderiam ter acertado o ex-presidente Lula ou alguma outra pessoa. Por isso, defendemos a entrada da Polícia Federal no caso e vamos acionar a PGR, o Ministério da Justiça e o da Segurança Pública para que tomem medidas urgentes para elucidar esse atentado”, disse o deputado Marco Maia.

Rodrigo Maia

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), também repudiou o ataque à caravana de Lula na Região Sul do país. “O tiro no ônibus foi o ponto final de alguns dias de absurdos, inviabilizando a mobilização do ex-presidente Lula. Todos sabem que sou adversário, mas devemos ser adversários nas ideias, no debate, não achando graça, inviabilizar que ele passe por uma estrada, ou mais grave que isso, ameaçando vidas de pessoas, querendo gerar um recuo no movimento do ex-presidente, que é legítimo, democrático”, disse.
O parlamentar criticou ainda as ameaças sofridas pelo ministro do Supremo Tribunal
Federal Edson Fachin. “Imagina se um voto da Justiça brasileira pode ser pautada por qualquer pressão, nenhuma pressão deveria existir, muito menos uma pressão sob ameaça. Acredito que chegamos, de fato, na beira do precipício. O Estado brasileiro precisa reagir, em conjunto, todos entendendo que a sociedade, no momento, não aguenta mais polarização, agressões”, afirmou.
Segundo Maia, os dois episódios são sintomáticos e representam o momento de extrema polarização do país. “Os campos ideológicos resolveram entender que podem inviabilizar o direito do outro. Acho que está na hora do Estado brasileiro como um todo, junto com o governo dos estados, avançarem rapidamente”.
Ataques
Dois ônibus foram atingidos terça-feira (27) por pelo menos três tiros quando a caravana estava na estrada no trajeto entre as cidades de Quedas do Iguaçu e Laranjeiras do Sul, no Paraná. Um dos veículos que recebeu disparos estava com profissionais de imprensa que acompanham o grupo e outro levava convidados. O ex-presidente Lula não estava nos veículos atingidos. Ninguém ficou ferido.

Maluf cumprirá prisão domiciliar em SP, diz advogado; não há prazo para alta médica


Internado às pressas nesta quarta, deputado passou por procedimento no fim da tarde. Mudança na prisão foi concedida por Toffoli.

O deputado federal afastado Paulo Maluf (PP-SP) deverá retornar a São Paulo para o cumprimento da prisão domiciliar concedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quarta-feira (28). A informação foi confirmada ao G1 pelo advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay. Não há prazo para que isso aconteça.

Antes da viagem, é preciso que Maluf receba alta médica. Na madrugada desta quarta, o parlamentar foi levado às pressas para um hospital particular do DF com “uma complicação séria no seu quadro de saúde” – nas palavras do advogado.

Por volta das 18h, segundo a direção do hospital Home, Maluf estava “em procedimento”, recebendo uma injeção de corticóides na base da coluna. Antes das 20h, o hospital emitiu um boletim médico atualizando o estado de saúde de Maluf.

Segundo o documento, ele continua internado, em observação. Em razão do horário, é possível que a alta do político só seja discutida a partir desta quinta (29).

De acordo com os médicos, Maluf chegou ao hospital com “dor forte” na lombar, irradiada para a perna direita – uma ressonância identificou a compressão de nervos na coluna vertebral. Pela manhã, Kakay afirmou que Maluf teria de ficar em observação por ao menos três dias.

Prisão domiciliar

A prisão domiciliar humanitária foi concedida na tarde desta quarta pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli, em um habeas corpus, com base justamente na saúde frágil do parlamentar. As informações são do blog da jornalista Andréia Sadi.

Até as 18h, a Secretaria de Segurança Pública do DF ainda não tinha sido notificada da decisão. Maluf cumpre pena no Complexo Penitenciário da Papuda, onde deu entrada em 22 de dezembro. Mesmo no hospital, o deputado permanece sob escolta de agentes penitenciários.

Segundo a Segurança Pública, em casos de mudança no regime da prisão, o detento precisa assinar um alvará de soltura – que, geralmente, é enviado ao presídio. Caso o documento seja expedido enquanto Maluf está internado, a Justiça pode optar por encaminhar os papéis ao hospital.

Questionada sobre a possibilidade de utilizar a tornozeleira eletrônica para monitorar a prisão domiciliar de Paulo Maluf, a pasta informou que essa decisão cabe ao próprio STF. No habeas corpus obtido pelo G1, o dispositivo não é mencionado.

Em nota, os advogados Ricardo Tosto e Jorge Nemr afirmam que a decisão de Toffoli “mostrou a sensibilidade dos magistrados humanistas.”

“Mas não há motivos para comemorar, uma vez que o estado de saúde do deputado é grave, inclusive sem garantia de que tenha de volta as condições necessárias para se locomover como antes. Além disso, na prisão domiciliar o deputado terá inúmeras restrições que se impõem aos réus presos”, diz o comunicado da defesa de Maluf.

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.

Fonte G1

Rock and Roll interpretado por crianças e adolescentes será uma inovação no Prado Moto Rock 2018


O Coro Infantojuvenil APRHOPE trará para o Prado Moto Rock a leveza e vitalidade da juventude e todo o carisma e interpretação do melhor do rock nacional e internacional.

Imagem ilustrativa – Google

Sob regência da Musicista Bibi Gomes, 18 crianças e adolescentes, entre 5 e 16  anos, encantarão os motociclistas e pradenses com interpretações que vão de Legião Urbana a QUEEN.

A APRHOPE iniciou este projeto do Coro no 1º Magia do Natal, realizado em Dezembro, com canções natalinas apresentadas no coreto da Praça da Matriz. Por ter sido um grande sucesso e obtido uma boa receptividade, a entidade decidiu dar continuidade ao projeto. Além da valorização da cultura e a inserção de crianças da comunidade no contexto do Turismo, esta ação social pode contribuir para retirar crianças em situações de vulnerabilidade social.

Um dos incentivos do evento, para que a criança dê continuidade, foi presentear a criança que tiver maior comprometimento e aptidão, com uma bolsa de 3 meses de estudo de Música  com a Tia Bibi.

O repertório foi criteriosamente escolhido pela Musicista Bibi Gomes e, em apenas um mês e meio, conseguiu preparar o coro com maestria.

Wander Noronha, presidente da entidade e organizador do evento, disse que inicialmente imaginou que as crianças teriam dificuldade na língua estrangeira.

Bibi ressaltou que não havia motivo para preocupação, pois  as crianças tem maior facilidade para decorar do que os adultos.

Uma surpresa também foi a pequena Anelly, com apenas 5 anos, que entrou na aula particular de canto para acompanhar o ritmo dos mais velhos, e não ficou para trás.

O Coro fará a abertura do evento, no dia 7 de Março, às 19 horas. A segunda apresentação será no sábado, dia 10,  às 18h, e, em ambas apresentações contará com a participação de parte da banda pradense Simetria Rock e o pai de um dos coralistas, que tocará violão.

Para André Milício, pai do Lucas e também associado à APRHOPE, disse que será um grande prazer fazer esta participação. ” Meu filho nos pediu logo para fazermos a inscrição dele, pois desde pequeno, ama o Rock and Roll”, conta orgulhoso!

SOBRE A REGENTE- BIBI GOMES

A mineira, Bibi Gomes (Fabiane)  carinhosamente chamada de Tia Bibi,   é Bacharel em Música  pela Universidade do Estado de Minas Gerais – instrumento Piano (UEMG). Musicista: pianista, arranjadora, correpetidora, regente, vocal coach e professora de música. Pós-graduada em Educação Musical e Pós-graduanda em Musicoterapia (FAC – Salvador).

Ensaios realizados na sede do Sindicato dos Produtores Rurais

Recentemente, homenageada pela Academia de Letras do Brasil (ALB) com o título honorífico “causas imortais” por força e mérito de sua decisiva atuação à evolução da Cultura Literária Brasileira. Detentora de concursos nacionais de piano. Defensora da música sacra erudita.

À convite da APRHOPE – Associação Pradense de Restaurantes, Hotéis, Operadoras, Pousadas e Estabelecimentos Comerciais,  realizou a Direção Musical no 10° Prado Moto Rock .Desde 2016 realiza como musicista, projetos sociais, culturais e intervenções musicoterápicas  na cidade Prado/BA, voluntariamente e pela Prefeitura Municipal da cidade.

Já atuou como pianista correpetidora da Cia. de Dança de Minas Gerais – Palácio das Artes – Fundação Clóvis Salgado/BH. Pianista correpetidora da Ópera Flauta Mágica de Mozart na cidade Cuiabá pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso). Também foi organista da CÚRIA-MITRA Arquidiocesana (MG).

Ópera Flauta Mágica de Mozart na cidade Cuiabá pela UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso). Também foi organista da CÚRIA-MITRA Arquidiocesana (MG).

Integrante e fundadora do Grupo NOTOM – grupo musical e, atualmente rege o Coro Infantojuvenil APRHOPE e a Direção Musical do Prado Moto Rock 2018.

A APRHOPE( Associação Pradense de Restaurantes, Hotéis, Operadoras, Pousadas e Estabelecimentos Comerciais) realiza há 11 anos o Prado Moto Rock com o apoio da Prefeitura Municipal, Secretaria de Turismo do Estado da Bahia, Sicoob, Itaipava, Empresários Locais e demais parceiros.

Cobertura Oficial: Prado Notícia

Por: Tatiana de Noronha

Lula à AFP: ‘Não tenho medo da prisão, sou inocente’


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu que a ideia de ser preso “passa todos os dias” por sua cabeça, mas garantiu não ter medo por ser inocente. Em entrevista exclusiva à AFP na tarde desta quinta-feira (1), Lula reafirmou o desejo de concorrer às eleições presidenciais de outubro e ainda garantiu ganhar no primeiro turno.

O ex-presidente foi condenado a 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). Ele garante, entretanto, que todas as acusações foram montadas para desmoralizar sua candidatura e impedir a volta do Partido dos Trabalhadores (PT) ao poder.

Atualmente, ele tenta conseguir um habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para impedir sua prisão quando se esgotarem seus recursos no TRF-4. Contudo, a Justiça eleitoral ainda pode torná-lo inelegível.

“Se eles resolverem me condenar e me prender, eles estão condenando um inocente, prendendo um inocente. Isso tem um preço histórico. Se querem tomar essa decisão, vão arcar com a responsabilidade do que vai acontecer no país”, alertou. “Por isso, eu durmo tranquilo”, afirmou Lula, em São Paulo.

Ele descartou, no entanto, criar tensões eleitorais. “Vamos disputar democraticamente a eleição. Esse país não tem a cultura da violência no processo eleitoral”, disse ele.

Fonte: MSN

“É estranho a imprensa chegar antes da Polícia Federal”, diz Jaques Wagner


Alvo de mandado de busca e apreensão na Operação Cartão Vermelho, nesta segunda-feira (26), o ex-governador da Bahia e ex-ministro dos governos Lula e Dilma, Jaques Wagner, criticou a ação da Polícia Federal.

Ex-governador da Bahia e ex-ministro foi alvo de mandado de busca e apreensão

“Em tese a ação preparada pela PF deveria ser sigilosa, mas como tem acontecido há vazamentos e  a polícia chega depois do próprio órgão de imprensa”, criticou, acrescentando que o inquérito existe desde 2013 e que ele já havia sido chamado para prestar testemunho.

“A própria delegada afirma que eu fui e colaborei e de repente vem uma ação de busca e apreensão totalmente desnecessária. Infelizmente, estão desvirtuando e politizando essas ações numa tentativa clara de criminalizar e destruir as lideranças do PT”, lamentou o ex-governador.

A delegada da Polícia Federal (PF) Luciana Matutino Caires, responsável pela Operação Cartão Vermelho, afirmou que o ex-governador da Bahia recebeu “boa parte” do valor desviado do superfaturamento do estádio Arena Fonte Nova, em Salvador. O petista teria levado R$ 82 milhões em propina e caixa 2, segundo a investigação.

“A Polícia Federal infelizmente está comprando uma versão de que houve superfaturamento. Mas há uma incompreensão da Polícia Federal e do Tribunal de Contas do Estado do que é uma PPP e uma obra pública.  Na PPP, não existe a figura do superfaturamento como está se insistindo. Nós contratamos a PPP para entregar o estádio e a gestão do estádio.”, explica Jaques Wagner.

 O ex-governador também diz esperar que o processo de inquérito se encerre e estranha a ação de busca e apreensão, mesmo depois de ter sempre se colocado à disposição da Justiça.

O atual governador da Bahia, Rui Costa (PT), foi além e disse que a ação teve claras intenções midiáticas. “Quando a televisão chega antes nos locais que vai ter uma investigação fica claro que a operação tem um fim midiático e político-partidário”, criticou.

Rui Costa diz ainda que a prática tem se tornado bastante comum no Brasil. “É incompreensível em qualquer país desenvolvido a imprensa chegar antes da policia. É uma operação casada com a visão da propaganda negativa no ano eleitoral. E infelizmente o nosso país, dia a após dia,  só reafirma essa tendência de parcialidade de quem deveria ser imparcial no processo de investigação”, conclui.

Com informações do jornal do Brasil

Jaques Wagner recebeu R$ 82 milhões em propina e doações, diz PF


O ex-governador da Bahia Jaques Wagner (PT) teria recebido R$ 82 milhões das empreiteiras OAS e Odebrecht pelo superfaturamento do contrato de reconstrução e gestão do estádio da Fonte Nova.

As suspeitas fazem parte do inquérito da Polícia Federal, que cumpriu na manhã desta segunda-feira (26) mandados de busca e apreensão em sete endereços em Salvador no âmbito da Operação “Cartão Vermelho”.

As buscas foram realizadas em endereços ligados a Jaques Wagner e a dois supostos intermediários da propina -o atual secretário da Casa Civil da Bahia, Bruno Dauster, e o empresário Carlos Daltro. Ambos são ex-funcionários do Grupo OAS.

Wagner, Dauster e Daltro foram indiciados no âmbito do inquérito que investiga o caso. Os três tiveram a prisão pedida pela Polícia Federal, mas negada pelo Tribunal Regional Federal da Bahia. Segundo a PF, a prisão foi pedida dada a impossibilidade de condução coercitiva, vetada pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

A delegada Luciana Matutino, responsável pelas investigações, afirma que, além dos depoimentos dos delatores da Odebrecht, há provas materiais de que dinheiro tenha sido entregue para emissários de Jaques Wagner. Dentre as provas, estão mensagens de telefone celular que indicam o pagamento da propina.

“Em razão das delações da Odebrecht e materiais apreendidos na OAS, verificamos que, de fato, o então governador [Jaques Wagner] recebeu uma boa parte do valor do superfaturamento para o pagamento de campanhas eleitorais e de propina”, diz a delegada.

Além de propina e recursos para caixa 2, também houve doações eleitorais de R$ 3,5 milhões declaradas feitas pelo Grupo Petrópolis, a pedido da Odebrecht, que beneficiaram a campanha do hoje governador da Bahia Rui Costa (PT).

Procuradas, as assessorias de Jaques Wagner, do governador Rui Costa, do secretário Bruno Dauster e da Fonte Nova Participações ainda não se posicionaram sobre a operação da PF. O empresário Carlos Daltro não foi localizado pela reportagem.

 A Fonte Nova Negócios e Participações informou que “aguarda informações oficiais sobre a Operação Cartão Vermelho”, mas “se coloca à disposição das autoridades para colaborar no que for preciso”.

SOBREPREÇO E DIRECIONAMENTO

O inquérito relativo ao sobrepreço no contrato de demolição, reconstrução e gestão da Arena Fonte Nova foi iniciado em 2013, quando surgira os primeiros indícios de irregularidades nas obras.

Na época, um estudo da Universidade Federal da Bahia apontou que a contratação da obra no modelo de parceria público-privada não era vantajoso para o Estado da Bahia. Posteriormente, laudos periciais da Polícia Federal apontaram que houve direcionamento na licitação para beneficiar o consórcio formado pelas empresas OAS e Odebrecht.

O consórcio foi o único habilitado no certame, que tinha exigências consideradas muito específicas pela PF como a expertise em demolição em áreas superiores a 150 mil metros quadrados.

“O serviço de demolição é notoriamente terceirizado. Não havia a necessidade de que a empresa interessada tivesse essa experiência anteiro porque ela certamente iria terceirizar essa função, como, de fato, aconteceu”, explica a delegada.

Ouvidos pela PF, os secretários estaduais responsáveis pela licitação informaram que as decisões sobre o edital não estariam no âmbito de suas respectivas secretarias, mas da governadoria.

Além do direcionamento, laudos da PF apontam para o superfaturamento da obra. O sobrepreço chegaria a R$ 200 milhões em valores de 2009, o que chegaria a cerca de R$ 450 milhões em valores atuais.

As delações da Odebrecht também apontam que Odebrecht e OAS teriam recebido recursos extras do governo da Bahia para a obra da Fonte Nova por meio do pagamento acordo judicial de R$ 290 milhões firmado entre a Odebrecht e a Cerb -órgão do governo baiano responsável por obras de combate à seca.

Segundo delação de Marcelo Odebrecht e do executivo André Vital, o acordo serviu para quitar uma pendência de R$ 60 milhões que o governo baiano tinha com o consórcio OAS/Odebrecht motivada pela aceleração das obras da Fonte Nova, que tinha que ser entregue a tempo para a Copa das Confederações.

A solução “heterodoxa”, nas palavras do delator, teria sido sugerida pelo próprio Jaques Wagner, que queria evitar um novo aditivo no contrato da Fonte Nova e evitar desgaste político. O acordo da Cerb também teria servido como contrapartida para colaboração da Odebrecht via caixa 2 para a campanha de Rui Costa ao governo do Estado.