MP investiga prefeito de Itamaraju e mais de 29 prefeitos do interior baiano por nepotismo


Por Correio24horas

Os casos levantados são investigados pelo MP e a maioria já teve recomendação para que os gestores exonerem os parentes

Pelo menos 31 prefeitos de cidades baianas decidiram afrontar as leis e nomearam familiares para comandar secretarias e cargos comissionados no interior baiano  já nos primeiros meses do mandato, iniciado em janeiro passado. O levantamento, realizado pelo CORREIO com auxílio do Ministério Público Estadual (MP), identificou que irmãos, tios, esposas e maridos são empregados pelos gestores. O que, segundo o Supremo Tribunal Federal (STF), caracteriza prática de nepotismo, ato de favorecer os parentes na administração pública.

Os casos levantados são investigados pelo MP e a maioria já teve recomendação para que os gestores exonerem os parentes. Dentre todas as ocorrência, três foram levadas à Justiça pelo MP após os prefeitos não cumprirem as orientações. Um deles já tem decisão, em Morro do Chapéu, onde o prefeito Léo Dourado (PR) recebeu determinação da Justiça para exonerar cinco parentes nomeados na prefeitura. Entre os quais, a mãe e uma prima. Ele cumpriu a sentença.

“Será cumprida toda e qualquer decisão que vier a ser proferida pela Justiça, confiantes de que o caso específico de Morro do Chapéu não se enquadra nas proibições legais”, disse Dourado, por meio de nota, complementando que, dos cinco servidores apontados pelo MP, três não possuem qualquer grau de parentesco com ele – esses casos, diz, têm relação familiar com secretários da prefeitura.

Em Itabuna, o MP acionou o prefeito Fernando Gomes (DEM) por ter nomeado como secretários a esposa, Sandra Neilma (Assistência Social), e um sobrinho, Dinailson Oliveira (Administração). Ainda não há decisão judicial sobre o caso. No início da gestão, ele exonerou o filho,  Sérgio Gomes, da Secretaria de Transporte, após denúncias da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) que ganharam repercussão nacional.

O argumento para mantê-los é que ambos têm qualificação técnica para os cargos. Mesma justificativa utilizada por gestores investigados pelo MP. No entanto, ao serem chamados pela Promotoria, a maioria  não consegue comprovar a competência dos familiares. Foi exatamente isso que aconteceu em Itabuna. Como a qualificação técnica não foi atestada, o promotor do MP Inocêncio Carvalho entrou com uma ação contra Gomes, pedindo a anulação das nomeações e a devolução dos salários recebidos.

Nova ação
O processo do MP mais recente foi contra o prefeito de Biritinga, Antônio Celso Avelino de Queiroz (PDT), que colocou duas filhas e um genro para comandarem secretarias. Segundo a promotora Letícia Queiroz de Castro, as nomeações são ilegais e não foram realizadas em prol do interesse público, “mas visivelmente em nome do proveito dos familiares da própria autoridade”. A reportagem procurou o prefeito, mas ele não foi localizado para comentar a denúncia.

Dos 31 municípios investigados pelo MP, dez já têm a situação resolvida, seja por sentença judicial ou pelos próprios prefeitos terem atendido as recomendações dos promotores. Em 21 municípios, por outro lado, os prefeitos mantêm os familiares e as investigações ainda estão em andamento.

As recomendações recentes  pedindo a exoneração de parentes ocorreram em Teixeira de Freitas e mais sete municípios da região de Jacobina. No primeiro, a orientação foi pela retirada de seis familiares do prefeito Temóteo Alves de Brito (PSD) – sendo três sobrinhos – e de secretários e vereadores. Também foram notificados os prefeitos de Caém, Gilberto Matos (PMDB), Mirangaba, Adilson do Banco (PMDB), Ourolândia, João Dantas (PMDB), Serrolândia, Gonçalves do Sacolão (PCdoB), Umburanas, Roberto Bruno (DEM), e Várzea Nova, Joãozinho (PSL).

Em Jacobina, o prefeito de Jacobina, Luciano Pinheiro (DEM), já havia desligado a  esposa, Aline Pinheiro, da chefia de gabinete. No entanto, uma nova recomendação foi feita para que ele tirasse parentes da prefeitura. CORREIO não conseguiu contato com os gestores para comentarem os casos.

É o caso de Santaluz, onde a prefeita Quitéria Carneiro Araújo (PSD) não cumpriu a recomendação para exonerar o marido e ex-prefeito Joselito Carneiro de Araújo Júnior da Secretaria da Administração. O MP informou que novas diligências estão sendo implementadas antes da tomada de medidas judiciais contra Quitéria.

Já em Teofilândia, o prefeito Tércio Nunes (PDT) foi notificado para exonerar duas irmãs que ocupam as secretarias de Assistência Social e Educação e de Cultura, Esporte e Lazer. A primeira foi exonerada. A segunda, não. O argumento de Nunes é que ela “tem qualificação técnica por já ter ocupado a mesma função em outra gestão”.

Em Itamaraju, o MP se reuniu com o prefeito Marcelo Angênica (PSDB) para encontrar medidas extrajudiciais sobre casos de nepotismo.

O gestor colocou como secretárias sua esposa, Fabiana Angênica (Assistência Social), e a mulher do vice-prefeito, Juciara Pereira (Educação, Esporte e Cultura). Em Ibipitanga, o MP recomendou que o prefeito Edilson Souza (PDT) exonere parentes, mas não divulgou quantos e a relação de parentesco. O CORREIO procurou os dois prefeitos, mas eles não foram localizados.

Aviso
Recomendações também foram feitas ao prefeito de Itapetinga, Rodrigo Hagge Costa (PMDB). Nesse caso, contudo, os três parentes (um filho, um cunhado e uma cunhada) são da secretária de Desenvolvimento Social, Eliene Paiva. A reportagem procurou a assessoria de comunicação da prefeitura, mas não obteve resposta.

Em Teodoro Sampaio e Santa Bárbara, o MP abriu investigação para apurar casos suspeitos. No primeiro, o prefeito José Alves da Cruz (PR) nomeou como coordenador de Cultura Guilherme Santos Vieira, filho do vice, Evilásio Vieira (PSL). No segundo, o prefeito Jailson Costa (PT) colocou a esposa, Rosenilda Ramos, como secretária de Assistência Social. A justificativa de ambos os prefeitos é que seus familiares têm aptidão para as funções. Rosenilda, segundo a prefeitura, já foi secretária da mesma pasta entre 2009 e 2012, quando Jailson também comandou o município.

Cerco
Em Brumado, Eduardo Vasconcelos (PSB) teve que tirar em maio 12 pessoas da gestão após recomendação do MP, que identificou nepotismo. Entre os desligados estava o filho, Rodrigo Vasconcelos, que comandava a Secretaria de Agricultura. Em Eunápolis, o gestor José Robério Batista de Oliveira (PSD) também seguiu a orientação do MP e exonerou Rodrigo Baioco, irmão do vice-prefeito Flávio Baioco.

O maior número de pessoas exoneradas por nepotismo veio de Cafarnaum, onde a prefeita Sueli Novaes (PR) teve que demitir 13 pessoas, acatando orientação do MP. Também seguiram as ordens os prefeitos de Dom Basílio, Itiruçu e Serrinha.

Por Correio24horas

Comunicado: Falta de patrocínios inviabiliza realização do Rock Music Festival


Durante o Prado Moto Rock deste ano, a organização do evento divulgou que realizaria um Festival de Rock no mês de Julho.

A APRHOPE (Associação Pradense de Restaurantes, Hotéis, Operadoras, Pousadas e Estabelecimentos Comerciais), realiza este evento motociclístico em Prado desde 2008.

O Prado Moto Rock é um atrativo que oferece recepção aos motociclistas, camping com café da manhã 0800, troféu para motoclubes cadastrados, expositores de produtos específicos e, o principal: shows de rock. Atualmente, o evento  atrai um público estimado em 20.000 pessoas, portanto recebe material de bandas do Brasil inteiro querendo uma oportunidade de se apesentarem no nosso palco, tamanha visibilidade que o evento proporciona.

Dada esta demanda, a Organização do Prado Moto Rock realizaria na segunda quinzena do mês de Julho deste ano, o Rock Music Festival, um evento linkado ao Prado Moto Rock

Seria um concurso de bandas de rock não autorais. A premiação principal era para ser o contrato assinado, com cachê pré-definido, para a apresentação no Prado Moto Rock 2018.

Infelizmente, com a ausência de  patrocínios, a Associação optou por adiar, à princípio, o evento.

A intenção é de cobrar uma taxa simbólica para inscrição das bandas, por isso é necessário termos patrocínios, tanto para a estrutura do evento e divulgação, quanto para premiação das bandas, em 2º e 3º lugar. Tão logo consigamos completar as cotas de patrocínio, divulgaremos nova data para o evento.

Por: ASCOM / APRHOPE

‘Há muitas pessoas que não se incomodam’, diz promotor sobre nepotismo no Extremo Sul da Bahia


Não é de hoje que as prefeituras baianas são usadas ao bel-prazer pelos grupos políticos que as assumem. Basta uma rápida consulta nos sites dos municípios para reconhecer um sobrenome comum a prefeitos e vereadores. E por aí entram mãe, pai, filhos, tios, primos, sem necessidade de concurso nem de qualificação técnica.

Segundo o promotor de Justiça Pedro Taques, esse tipo de condição faz toda a Bahia ser um dos estados onde o nepotismo tem mais casos em relação ao resto do Brasil. O promotor diz que, ao contrário da corrupção clássica feita pela propina e pelo superfaturamento, de obras e serviços, o nepotismo é mais tolerado pela população.

Pedro Taques acredita que haja “uma cultura disseminada”. O promotor também conta como as ações contra o nepotismo chegam e são encaminhadas pelas promotorias.

Com informações do Bahianotícias

‘Tiraram presidenta que teve 54 mi de votos para botar alguém que teve 53 mil’, critica Rui


O governador Rui Costa não hesitou em demonstrar seu descontentamento com os rumos da política brasileira. Durante inauguração de um viaduto na Avenida Paralela, nesta terça-feira (11), o petista disse que o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), não possui legitimidade para presidir o Brasil. É que, em caso de aprovação da denúncia contra o presidente Michel Temer, o peemedebista seria afastado.

O primeiro na linha sucessória é o presidente da Câmara. “Precisamos acordar. O Brasil não vai sair dessa crise se não der legitimidade a quem conduz o país, porque tiraram a ‘presidenta’ que teve 54 milhões de votos, pra agora botar alguém que teve 53 mil votos. Não consigo enxergar como legítimo, natural. É muito triste”, lamentou. O governador ainda comparou o desempenho de Maia ao de deputados baianos.

“Se uma pessoa dessa tivesse disputado na Bahia para deputado federal, teria perdido, porque nenhum deputado baiano se elegeu com 53 mil votos”, acrescentou. Rui disse que o relatório apresentado nesta segunda (10) por Sergio Zveiter (PMDB-RJ) na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) é no sentido de que as coisas devem ser apuradas, mas ele se preocupa com as consequências disso para o Brasil.

Com informações Bahianoticias

Teste rápido para HIV passa a ser vendido em farmácias do Brasil


O primeiro teste de farmácia para detectar HIV registrado no Brasil – chamado Action – passa a estar disponível em drogarias do país a partir desta segunda-feira (3).

O produto chegará a São Paulo e Espírito Santo a partir da semana que vem. Até o fim do mês, a previsão é que o teste possa ser comprado em todo o país. O preço deve variar de R$60 a R$70. Segundo o G1, o exame, aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em maio, detecta a presença dos anticorpos contra o vírus HIV a partir da coleta de gotas de sangue.

O teste Action traz o dispositivo de teste, um líquido reagente, uma lanceta para furar o dedo, um sachê de álcool e um capilar (tubinho para coletar o sangue) e o resultado demora de 15 a 20 minutos para sair. Segundo a Anivsa, o teste demonstrou sensibilidade e efetividade de 99,9%.

No entanto, só pode indicar a presença do HIV após 30 dias do contato com o vírus por meio de uma relação sexual ou compartilhamento de agulha, por exemplo. Se o resultado der positivo, recomenda-se confirmá-lo com um teste de laboratório. Em caso de resultado negativo, o teste deve ser repetido após 30 dias e outra vez depois de mais 30 dias até completar 120 dias após a primeira exposição.

Revista EXAME divulga pesquisa do MEC que coloca Faculdade FACISA/CESESB entre os melhores do país


Por Transparência Bahia

Uma matéria publicada pela respeitadíssima Revista EXAME, que foi ao ar no último dia 20 de junho, surpreendeu toda comunidade acadêmica do estado da Bahia, em especial da região extremo sul.

A revista trouxe uma reportagem especial sobre a última pesquisa do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), do Ministério da Educação (MEC), que aponta os melhores cursos universitários do país no momento. Na Bahia, apenas 13 instituições apareceram entre as melhores. Salvador liderou a lista com 04 unidades de ensino, Feira de Santana com 02, Camaçari (Região Metropolitana) 01, sendo as demais faculdades e universidades localizadas no interior.

Esse último levantamento do MEC coloca a FACISA/CESESB entre as 06 melhores da Bahia. A faculdade, localizada no município de Itamaraju, foi a única das regiões sul e extremo sul que alcançou o índice. A pesquisa – em análise desde 2015 – levou em consideração o desempenho dos estudantes no ENADE, corpo docente (proporção de mestres e doutores entre os professores), infraestrutura e organização didático-pedagógica.

Fundada em 2001, a FACISA/CESESB dispõe dos cursos de Administração, Direito, Enfermagem e Serviço Social. A instituição conseguiu, recentemente junto ao MEC, aprovação para abertura dos cursos de Odontologia, Farmácia, Educação Física, Veterinária, Radiologia e Gastronomia.

José Francisco Saraiva Filho e Jackson Cordeiro de Almeida

Classificada como Instituição de Ensino Privado, ela é mantida pelo empresário paulista José Francisco Saraiva Filho e é dirigida pelo professor doutor Jackson Cordeiro de Almeida.

Abaixo, confira a lista das 13 instituições apontadas como as melhores da Bahia:

01 – Faculdade Nobre de Feira de Santana / Feira de Santana;

02 – Faculdade Metropolitana de Camaçari / Camaçari;

03 – Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana / Feira de Santana;

04 – Faculdade de Ciências Humanas e Sociais / Paripiranga;

05 – Universidade Salvador / Salvador;

06 – Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas / Itamaraju;

07 – Faculdade Cidade do Salvador / Salvador;

08 – Faculdade de Tecnologia e Ciências de Vitória da Conquista / Vitória da conquista;

09 – Faculdade Dom Pedro II / Salvador;

10 – Faculdade de Guanambi / Faculdade Guanambi;

11 – Faculdade Arnaldo Horácio Ferreira / Luís Eduardo Magalhães;

12 – Faculdade são Francisco de Barreiras – Fasb / Barreiras;

13 – Universidade Federal da Bahia / Salvador;

Link da matéria Revista EXAME:

http://exame.abril.com.br/carreira/os-melhores-e-piores-cursos-de-direito-segundo-o-mec/

Saúde: Dia 08 de julho vai ter posto de saúde aberto para doação de sangue em Alcobaça


Dia 08 de julho você já tem compromisso marcado. Anota ai na agenda. De 08:00 às 17:00h a ESF 01, no centro de Alcobaça, ficar estar aberto para a doação de sangue.

A iniciativa é uma parceria da Secretaria Municipal de Saúde de Alcobaça com o Hemoba.

A ação visa aumentar estoque de sangue para o socorro ao Hospital Municipal de Teixeira de Freitas, que realiza atendimento de urgência e emergência para os pacientes que chegam dos municípios de toda a região.

Toda a rede de hospitais e clínicas das cidades do extremo sul também se utilizam do banco de sangue do Hemoba, inclusive o Hospital São Bernardo de Alcobaça.

O número pequeno de bolsas de sangue pode representar risco de pacientes, submetidos à procedimento cirúrgico, vir a óbito por falta de transfusão sanguínea.

Segundo o Secretário de Saúde de Alcobaça, Robson Mattos, essa é a primeira vez que a ação será realizada no município de Alcobaça.

“O prefeito Léo Brito abraçou a causa e a prefeitura dará todo o suporte necessário para essa iniciativa, tão importante para todos nós, porque pode ajudar a salvar vidas, pois qualquer um de nós, ou alguém da nossa família pode necessitar – a qualquer momento – de uma transfusão de sangue e o mais importante é que, na maioria das vezes, não sabemos quem foi o doador, mas sabemos que o seu gesto salvou vidas”, destaca.

Datafolha: Lula lidera com 30%; Marina e Bolsonaro empatam em segundo


O ex-presidente Lula (PT) segue liderando os cenários em pesquisa de intenções de voto realizada pelo Datafolha, com 29% a 30%, sendo seguido por Marina Silva (Rede) e Jair Bolsonaro (PSC). O último vem registrando alta nos levantamentos: tinha 8% em dezembro do ano passado, aumentou para 14% em abril e aparece com 16% (os três índices sempre quando o candidato do PSDB é o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin).

No cenário 1 de primeiro turno, Lula fica à frente com 30% das intenções de voto, seguido de Bolsonaro (16%) e Marina (15%). Alckmin vem em quarto, com 8%; Ciro Gomes (PDT) em quinto, com 5%. Luciana Genro (Psol); Eduardo Jorge (PV); e Ronaldo Caiado (DEM) estão empatados em sexto, com 2%. Brancos e nulos somam 18%, enquanto 2% não souberam ou não opinaram. No cenário 2, com o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), substituindo Alckmin, Lula mantém os 30%, Marina e Bolsonaro fica empatado com 15% em segundo lugar e o tucano aparece em terceiro, com 10%. Ciro Gomes fica em quarto, com 6%, enquanto Luciana Genro, Eduardo Jorge e Caiado mantêm os 2% cada um. Brancos e nulos somam 16%; 2% não souberam ou não opinaram.

O cenário 3, com Alckmin e o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, Lula segue com 30%; Marina e Bolsonaro continuam também com 15%. Joaquim Barbosa vem em terceiro, com 11%. Geraldo Alckmin fica em quarto, com 8%. Neste cenário, Luciana Genro, Eduardo Jorge e Ronaldo Caiado estacionam em 2%, enquanto reduz ligeiramente a quantidade de brancos e nulos (14%) e 2% não souberam e não opinaram. O cenário com Barbosa e Doria representa mudanças sutis: Lula cai um ponto percentual (29%) e Marina (15%) abre uma pequena distância de Bolsonaro (13%). Barbosa vem logo em seguida, com 10%, seguido de Doria (9%). Luciana Genro e Eduardo Jorge permanecem com 2%, mas Caiado (1%) perde 1 ponto percentual. Brancos e nulos somam 15% e 2% não souberam ou não opinaram. No cenário 7, figura o juiz Sérgio Moro.

Lula obtém 29%, mantendo o patamar. A presença do magistrado, porém, bagunça o segundo lugar: Moro empata com Marina, com 14%. Bolsonaro vem imediatamente depois, com 13%. Alckmin tem 6% das intenções de voto. Como no cenário 6, Luciana Genro e Eduardo Jorge têm 2%; Caiado, 1%.  Brancos e nulos representam 15% e 2% não souberam ou não opinaram. Sem o PT na disputa, Marina se descola de Bolsonaro: ela lidera com 22% e o deputado federal fica com 16%. Neste cenário, com Joaquim Barbosa, este fica em terceiro (12%), e Alckmin aparece em quarto (9%). Luciana Genro cresce ligeiramente (3%), Eduardo Jorge mantém 2% e Caiado volta aos 2%. O número de brancos e nulos cresce e vai para 23%, sendo superior às intenções de voto de Marina.

Dos entrevistados, 3% não souberam ou não opinaram. O cenário 9 não tem nenhum alvo da Lava Jato entre os candidatos: Marina amplia a liderança, com 27% e Bolsonaro cresce para 18%. Doria aparece em terceiro, com 14%, seguido de Ciro Gomes (12%), em sua melhor pontuação. A quantidade de votos brancos e nulos também aumenta e chega a 26%; 3% não souberam ou não opinaram.

Substituindo Lula pelo ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, o resultado é inexpressivo para o PT: ele só aparece em sexto, com 3%, abaixo de Luciana Genro (4%), que obtém sua melhor pontuação. Neste cenário, Marina lidera com 22%, seguida de Bolsonaro (16%) e Joaquim Barbosa (13%). Alckmin fica em quarto, com 10%; Eduardo Jorge e Caiado continuam com 2%. Brancos e nulos ultrapassam o primeiro lugar entre os candidatos e batem os 25%; 3% não souberam ou não opinaram.

Apesar de liderar em todos os cenários, Lula também tem a maior rejeição: 46%. Alckmin vem na sequência, com 34%. Bolsonaro tem 30% de rejeição, próximo a Haddad (28%), Ciro (26%) e Marina (25%). A rejeição vai caindo ponto por ponto: Luciana Genro tem 24%; Caiado, 23%; Moro tem 22%; Eduardo Jorge, 21%; e Doria 20%. Com a menor rejeição, abaixo de duas dezenas, está Joaquim Barbosa, com 16%. Parte do eleitorado rejeita todos os candidatos (3%), na mesma proporção dos votariam em qualquer um deles.

O Datafolha fez também simulações de segundo turno e, ao contrário do 1º turno, Lula não vence em todos os cenários. Com Alckmin (32%), obtém 45%; mesmo percentual com Doria (34%). Com Marina, ocorre um empate: ambos tem 40% das intenções de voto. Lula venceria ainda Bolsonaro, com 45% contra 32%. Marina também ganharia do deputado, com 49% contra 27%. Alckmin obteria 34%, caso o concorrente fosse Ciro (31%) Ciro (34%) também fica ligeiramente acima de Doria (32%), caso disputassem o 2º turno.  Se concorresse com Lula (42%), Moro ficaria ligeiramente acima do petista, com 44%. A pesquisa foi realizada entre os dias 21 e 23 de junho, entrevistando 2.771 pessoas em 194 cidades. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Comissão do Senado rejeita parecer sobre reforma trabalhista


Em uma reunião tensa, a Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado rejeitou, por 10 votos a 9, o texto principal da reforma trabalhista. Apesar da decisão marcar a primeira derrota do governo na tramitação do projeto, o texto segue normalmente para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

O placar surpreendeu governistas e a própria oposição.  Senadores governistas trabalhavam com a expectativa de que o texto pudesse ser aprovado por placar de 11 a 8 ou com vantagem de 12 a 8, conforme o quórum da votação.

Com a rejeição do relatório do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), a Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado aprovou em votação simbólica o voto em separado do senador Paulo Paim (PT-RS).

Esse será o documento chancelado pela CAS que acompanhará o projeto que altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). O parlamentar já havia apresentado voto em separado – espécie de relatório alternativo ao oficial. O nome do senador gaúcho foi aprovado pelos demais e, assim, o voto em separado de Paim foi submetido. Em votação simbólica, o texto foi aprovado pelo quórum da CAS.

O texto segue agora para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde o relator é o senador Romero Jucá (PMDB-RR). Se aprovada, segue para o plenário, onde todos os senadores darão a palavra final para uma das matérias prioritárias do governo.

Luto no forró: morre a ex-vocalista da Cavaleiros do Forró


Morreu na tarde desta sexta-feira (16), vitima de um acidente de carro, a cantora Eliza Clívia. Ela estava em um veículo de passeio que foi atingindo por um ônibus em um cruzamento da cidade de Aracaju, Sergipe.

O acidente aconteceu no cruzamento das ruas Maruim e Arauá, no Centro da capital sergipana.

Eliza estava na cidade para divulgar um show especial com ex-integrantes da Cavaleiros do Forró, banda a qual fez parte e a projetou no ritmo. Ela se desligou recentemente da banda Cavalo de Aço para seguir carreira solo.

A cantora chegou a participar de programas de TV em Aracaju e era aguardada para uma entrevista numa emissora de rádio esta tarde, quando aconteceu a tragédia. A própria emissora que a receberia no estúdio para o bate-papo noticiou a morte.

Um integrante da banda que estava com ela no carro, Sérgio Ramos, que também era seu namorado, chegou a postar uma foto nas redes sociais horas antes do acidente com a legenda: “Cansados, nadinha”.

Eliza Clívia ficou conhecida no mundo forrozeiro por fazer parte das bandas Cavaleiros do Forró e Cavalo de Aço.

Relembre um dos clássicos de Elisa Clívia na Cavaleiros:


Com informações do portalenoticias