A 100 dias da Copa, Felipão tem base montada e confiança dos torcedores


Com poucas dúvidas para fechar o grupo que vai buscar em casa o hexa mundial, técnico divulgará lista final no dia 7 de maio, em casa de shows no Rio de Janeiro.

Faltam 100 dias para a Copa do Mundo, e a lista de Luiz Felipe Scolari para o torneio que será disputado no Brasil está praticamente fechada. Restam pouquíssimas vagas (ou dúvidas) na cabeça do comandante canarinho: o terceiro goleiro, o primeiro volante reserva e, quem sabe, um atacante ou mais um meia. Respostas que serão dadas no dia 7 de maio, numa casa de shows no Rio de Janeiro, onde Felipão divulgará o grupo definitivo dos atletas que vão representar o país a partir de 12 de junho, na abertura do Mundial, contra a Croácia, em São Paulo.

Certo mesmo é que a pouco mais de três meses do torneio, o Brasil tem uma base e a renovada confiança dos torcedores, principalmente pelo título da Copa das Confederações, conquistado no ano passado com uma categórica vitória por 3 a 0 sobre a Espanha, atual campeão do mundo. E a tão pouco tempo do Mundial, o trabalho de Felipão agora é de manutenção e raríssimas observações. Desde que assumiu o comando do time, em dezembro de 2012, ele chamou 52 jogadores, e Neymar foi quem mais atuou: foram 1.591 minutos em campo (veja os principais números no infográfico abaixo).

fan info Felipão ATUALIZADO 690px (Foto: arte esporte)

GRUPO QUASE FECHADO

O número de atletas testados por Felipão foi suficiente para o treinador ter os 23 nomes que vão ao Mundial e mais algumas peças de reposição por conta de alguma eventualidade – lesão ou deficiência técnica.

No gol, por exemplo, foram apenas quatro nomes chamados por Felipão. Julio César, que jogará constantemente a partir de agora, após acertar a sua ida para o Toronto F.C, da Major League Soccer (MLS), e Jefferson, do Botafogo, vão disputar a Copa. A última vaga está entre Diego Cavalieri, do Fluminense e terceiro nome na Copa das Confederações, e Victor, do Atlético-MG. Enquanto o primeiro disputou duas partidas (180 minutos em campo), o outro foi titular em apenas um confronto.

As laterais também estão bem definidas. Dois podem ser considerados certos no Mundial: Daniel Alves e Marcelo. Maicon e Maxwell estão à frente dos concorrentes. Filipe Luís, reserva nas Confederações, e Rafinha se tornaram as opções caso ocorra algum problema. A tendência é que o jogador do Bayern de Munique tenha a oportunidade de atuar alguns minutos no jogo desta quarta-feira, contra a África do Sul.

Fred, Seleção Brasileira (Foto: Márcio Iannaca)

Na defesa, três nomes já estão escolhidos: Thiago Silva, Dante e David Luiz. Uma vaga está em aberto. Ao longo do trabalho, além dos citados acima, Felipão chamou outros seis atletas: Dória, Henrique, Réver, Marquinhos, Dedé e Miranda. O zagueiro do Cruzeiro foi quem mais atuou: três jogos (222 minutos).

O meio de campo é outro setor que pode ter uma dúvida ou outra. Ramires e Paulinho são nomes certos no Mundial. Hernanes passou a ser dúvida. Fernandinho, convocado pela primeira vez para o duelo contra os africanos, virou concorrente de peso. Luiz Gustavo, como primeiro volante, é titular de Felipão. Mas quem é o substituto? Fernando perdeu espaço, e Lucas Leiva é o favorito.

Na armação, Oscar é titular de Felipão. Agradou bastante o treinador no período de preparação e só não veste a camisa 10 porque Neymar já arrebatou o número consagrado por Pelé. Certo também é que Kaká e Ronaldinho Gaúcho, campeões com Felipão em 2002, dificilmente estarão na Copa do Mundo. Enquanto o jogador do Milan participou de apenas 106 minutos, o atleta do Atlético-MG esteve em campo por 213.

No ataque, só um problema de lesão muda a ideia de Felipão. Fred e Jô são os centroavantes. Neymar é a referência. Hulk também está garantido. Bernard venceu a disputa com Lucas Moura, do Paris Saint-Germain, para ser o xodó do comandante canarinho na competição. Quem surgiu de última hora e praticamente carimbou o passaporte foi Willian, do Chelsea.

Brasil posado final copa das confederações (Foto: Agência AP)
Por Globo Esporte

Fifa garante que Brasil terá os ingressos mais baratos da história das copas


O secretário-geral da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Jérôme Valcke, disse hoje (1º) que a Copa do Mundo de 2014, que será disputada em 12 cidades brasileiras, terá os ingressos mais baratos da história da competição, cuja primeira edição ocorreu em 1930.

123251

Após apresentar balanço sobre a Copa das Confederações, que terminou ontem (30), no Rio, Valcke disse que, em 70% dos jogos de 2014, os ingressos tendem a custar menos que os das últimas copas, sem dar muitos detalhes.

“Do jogo 2 ao 48, vai ser o ingresso mais barato que já tivemos em Copa do Mundo, ainda mais se você aplicar o sistema de desconto. Vai ser realmente barato”, reforçou. Uma entrevista sobre o tema está prevista para 19 de julho.

O secretário-geral também confirmou que o gás lacrimogênio usado para conter a manifestação no entorno do Maracanã ontem (30), na partida final da Copa das Confederações, foi sentido no estádio. “Se você tem gás ao redor do estádio, o gás entra no estádio, o que você pode fazer? Colocar voluntários para soprar?”

Valcke evitou polemizar o assunto e foi enfático ao argumentar que a segurança é um “problema e responsabilidade” dos governos. “A Fifa pede segurança para os torcedores, para o estádio, para o evento em si. Não estamos dizendo o que fazer e nem podemos, esse assunto é tema de governo”, alegou.

Agência Brasil

Após reunião no Rio, Grêmio anuncia retorno do técnico Renato Gaúcho


O Grêmio anunciou na tarde desta segunda-feira, pelo twitter oficial, a contratação do técnico Renato Portaluppi. O ex-jogador, ídolo da torcida, substitui Vanderlei Luxemburgo, demitido no sábado. Chega na terça a Porto Alegre para firmar vínculo até 31 de dezembro de 2013 e já estreia no sábado, contra o Atlético-PR, pela sexta rodada do Brasileirão.

Untitled-2

Será a sua segunda passagem como treinador no clube que o revelou para o futebol. Trabalhou por 11 meses, entre 2010 e 2011, mesmo ano em que treinou o seu último clube, curiosamente o Furacão, rival do próximo fim de semana. Renato volta com a companhia do auxiliar Victor Hugo Signorelli e do preparador físico Alexandre Mendes. Deve ser apresentado no início e comandará o treino das 15h30m.

O acordo foi todo costurado em uma churrascaria do bairro de Ipanema, no Rio de Janeiro, num encontro com seu empresário Gelson Oldenburg, o diretor executivo de futebol Rui Costa e o assessor de futebol Marcos Chitolina. Jogadores da seleção brasileira, campeã da Copa das Confederações, almoçavam no local naquele momento, entre eles, Fred e Thiago Silva.

Ídolo da torcida, Renato tem boa relação com Fábio Koff. Foi jogador e campeão do mundo no primeiro mandato do presidente, em 1983. No ano passado, apoiou abertamente a campanha para Koff voltar ao comando do clube, o que acabou ocorrendo ao derrotar Paulo Odone, dirigente que demitira Renato em 30 de junho de 2011. Além de todas essas coincidências, Renato se encaixa no perfil esboçado pela direção para o novo treinador. Rui Costa disse, no fim de semana, que pretendia contratar um profissional alinhado com os valores do clube e com a “cara” do Grêmio.

Em recente entrevista à RBS TV, Renato reafirmou seu sonho de voltar a treinar o Grêmio, clube que treinou por cerca de um ano, entre 2010 e 2011, com início avassalador, tirando o time da zona de rebaixamento e o levando à Libertadores. Mas a má campanha no torneio continental e a perda em casa do Gauchão para o maior rival minaram suas chances, que parecem, agora, terem retornado com toda a força.

No sábado, logo após a queda de Luxa, em contato com o GLOBOESPORTE.COM, o empresário Gerson Oldenburg havia revelado um “gosto de quero mais” do treinado em comandar novamente o clube do coração.

*Com informações de Hector Werlang e Janir Júnior

Diretoria do Flamengo busca nomes consagrados e monitora Sheik e Castán


pradonoticia00

Mano Menezes será mesmo a única novidade do Flamengo para o amistoso com o São Paulo, neste sábado, às 19h (de Brasília), em Uberlândia, e muito provavelmente também no retorno do time ao Brasileirão, dia 6, diante do Coritiba, em Brasília. Apesar da grande expectativa de reforços após a contratação do treinador, há duas semanas, o Rubro-Negro tem encontrado dificuldade no mercado e age com cuidado para que qualquer investimento seja cirúrgico, em atletas que cheguem para “escolher camisa”. Nessa linha, Emerson Sheik e Leandro Castán  são dois dos nomes já definidos, mas as conversas seguem em ritmo lento.

No caso do atacante, o Flamengo trata o caso com confiança, mas depende do desfecho da negociação pela renovação de contrato do atacante com o Corinthians para intensificar as suas ações. Caso jogador e clube mantenham suas posições atuais – Emerson deseja um novo vínculo de dois anos e o Timão apenas de um – são grandes as chances de um retorno à Gávea. Se não ficar no Parque São Jorge, Sheik está firme no desejo de retornar ao Rio, e o Rubro-Negro já se demonstrou que atenderá seus anseios. A previsão é de que tudo se defina até o dia 17 de julho, data do segundo jogo da final da Recopa.

pradonoticia01

Já no caso de Leandro Castán, o Fla tenta diminuir a pedida do Roma para liberar o jogador, cerca de R$ 4,2 milhões. A diretoria garante que não há negociação em curso pelo zagueiro. Entretanto, ao ser questionado, Mano Menezes assumiu o interesse nas entrelinhas.

– No primeiro dia que falamos, eu disse que sobre negociações é muito salutar não comentar por antecipação. Não porque tenha alguma questão que não me agrade. Jamais vou faltar com a verdade. Se a informação é boa, não posso dizer que não é verdade. Então, é melhor não comentar porque pode atrapalhar. Essa vai ser a nossa linha.

Apesar do consenso de que a chegada de nomes consagrados é fundamental, o Flamengo tenta fugir o mínimo possível da conduta de redução de gastos e toda possibilidade de investimento depende da aprovação do vice de finanças, Rodrigo Tostes. Internamente, a diretoria comenta que o “mercado não está nada fácil”, mas segue o mapeamento em busca de possibilidades. Uma coisa é certa: o clube não fará mais apostas e se concentra em tiros certeiros.

– O perfil dos jogadores que quero, eu já disse: que tenham uma trajetória confiável e com poder de chegar aqui e imediatamente acrescentar ao grupo. Temos jovens, jogadores promissores, mas para que se sintam mais seguros temos que sustentar isso com quem já passou por momentos (importantes) – explicou Mano.

Com a janela para vinda de jogadores do exterior já aberta, o Flamengo tem até o próximo dia 20 para explorar o mercado internacional. Atualmente, o clube conta com um elenco de 32 jogadores e espera o acerto em breve com Adrián Martinez, lateral-direito argentino, de 21 anos, que chega do San Lorenzo. A promessa de seu empresário é de que ele desembarque no Rio até o fim do sábado para realizar exames médicos.

Por GloboEsporte

À beira do campo, ‘maestro’ Felipão rege e contagia a ‘família’ rumo à final


Técnico fica a maior parte do tempo em pé, acompanha lance a lance de perto e transforma um Brasil antes duvidoso em, mais uma vez, vencedor.

felipao_comemoracao2_get.jpg_95

O jogador da seleção brasileira que olhasse de dentro do campo para o banco de reservas durante o duelo entre Brasil e Uruguai nesta quarta-feira, em Belo Horizonte, não pensaria duas vezes para dividir uma bola. A vibração e a participação de Felipão contaminavam. Tal como um maestro, o técnico regeu, à beira do campo, o tom dos 90 minutos no Mineirão, na semifinal da Copa das Confederações.

– A minha participação é a que sempre tive. Eu vibro, participo, eu gosto. Recebi agora pouco um elogio do Marco Aurélio Cunha (ex-dirigente do São Paulo). Ele me disse que a vibração da comissão técnica e dos jogadores faz com que ele sinta orgulho da Seleção. Isso é um elogio – disse o técnico.

Felipão entrou em campo sorrindo, depois de cumprimentar o técnico do Uruguai, Óscar Tabárez. Mas não foi tão fácil ver os dentes do treinador da seleção brasileira durante o primeiro tempo. A forte marcação do adversário incomodou quem estava em campo e também àqueles que olhavam do banco de reservas.

mosaico_felipao_jogobrasil.jpg_65

Não à toa, Felipão levantou com apenas cinco minutos de bola rolando e foi para a área técnica. De braços cruzados e olhando no relógio o tempo todo, o técnico da Seleção esperava um ataque do Brasil. Demorou. Antes disso, surgiu um pênalti para o Uruguai – David Luiz puxou Diego Lugano na grande área.

Chateado, o pentacampeão se escorou no teto do banco de reservas, abriu os braços, lamentou. Mas a defesa de Julio César na cobrança de Forlán foi comemorada por Scolari como se fosse um gol. Segundos depois, ele se dirigiu ao quarto árbitro e reclamou. Algo que o treinador fez esporadicamente no jogo.

Participativo, Felipão andou de um lado para o outro na área técnica. Como se tivesse pedindo a bola, acompanhando lance a lance. Voltou para o banco aos 23 minutos. Sentou e ficou calado. Mas durou pouco. Um minuto depois, o comandante verde e amarelo estava de novo dando instruções.

felipao_comemoracao3_reu.jpg_30

Aliás, irritou-se com a falta de entendimento dos jogadores e voltou novamente ao banco, reclamando. Ficou lá por cinco minutos. E quando voltou, teve a chance de ver, de pé, com ótima visão, o gol marcado por Fred. Na comemoração, punhos cerrados para cima e um olhar para a torcida mineira.

Felipão, no entanto, teve motivos de sobra para se irritar logo no início do segundo tempo. Principalmente depois do passe errado de Thiago Silva, dentro da área, que originou o gol de empate do Uruguai. “Dá um bico!”, reclamou. Intercalando as mãos nos bolsos com os braços cruzados, o técnico andou para lá e para cá pensando numa alternativa.

Pediu insistentemente para a seleção brasileira avançar e acionar mais Neymar. Resolveu, então, atender a um pedido recorrente da torcida mineira: Bernard. Ao fazer o sinal para o atacante do Atlético-MG deixar o aquecimento e partir para o campo, Felipão levou os torcedores à loucura.

Com Bernard em campo, o técnico da Seleção viu o time mais adiante, como queria. O garoto abriu mais espaços e acelerou a partida. Mas a agitação de Felipão à beira do campo era o reflexo da dificuldade que o Brasil enfrentava. Ele não conseguia mais sentar no banco de reservas. Estava agitado.

E também não sentaria mais. Não depois de Neymar bater escanteio com perfeição e a bola encontrar a cabeça de Paulinho, o volante-artilheiro: 2 a 1. Como um guerreiro, Felipão cerrou novamente os punhos, levantou os braços para cima e gritou. Gritou como quem está na final da Copa das Confederações. Depois, reconheceu ter vivido uma das partidas mais tensas e emocionantes de sua carreira. E fez questão de aumentar a família Scolari na hora de dividir os méritos do triunfo.

– Nos últimos dez anos, depois da Copa do Mundo, acho que foi o jogo mais emocionante. Posso me lembrar de um Coritiba e Palmeiras, na Copa do Brasil, mas hoje os jogadores fizeram pela torcida. Ela foi fundamental, fez com que a gente superasse as dificuldades. Foram os torcedores que carregaram o time. É bom saber que Belo Horizonte também nos recebe de forma calorosa.

Por Globo Esporte

Neste domingo 23/06 acontece a 3ª Rodada do Campeonato de veteranos de Futebol do Prado


pradonoticia6

Domingo  23 de Junho 2013 no Campo Olimpo Braga 

pradonoticia 1

Domingo passado 16 do Junho 2013 dois encontros caracterizaram o dia esportivo . A favorita UNIÃO ( do Presidente DIBAI e técnico Boloca) no primeiro encontro impactou contra uma dinâmica do time do OITEIRO mais rápida e concreta.

pradonoticia5

Em vantagem no primeiro tempo aos 32 minuto com Urivaldo Tavares ao time da UNIÃO não consegui concretizar a superioridade técnica individual do OITEIRO no segundo tempo.

pradonoticia4

Com o jogador  ZÉ Cinza em forma excelente depois de ter mandado a bola na  trave adversária ( 15 minuto)  impactou a partida  diretamente da punição fora da área ao 22 minuto do segundo tempo ( gol estilo Ronaldinho Gaucho).

pradonoticia2
No segundo encontro (sem história) entre o time do Leão  MANGUAÇA  e o MALOCA 22 de LESSA. A partida foi suspensa ao 12 minuto do segundo tempo ( numero insuficiente de jogadores da Manguaça em campo) quando o resultado estava de 5 a 0 para o Maloca 22.

pradonoticia3

 

Primeira rodada  09-06 -2013 

Associação   x   Carabau      7   a  0 

1º de Abril    x   Celebridade     4  a 1 

Segunda rodada  16-06 -2013 

União  x  Oiteiro     1  a  1 

Manguaca  x  Maloca 22    0  a  5 

Terceira  rodada  domingo  23 -06 –  2013 

Campo Olimpo Braga – PRADO 

 08.00 h     GUARANI  x  ASSOCIACAO 

10.00 h      CUMURUXATIBA  x  CELEBRIDADE 

Por Carlo Casarsa Jornalista Internacional /PradoNotícia

(73)  9986 5135

Mano Menezes é o novo treinador do Flamengo e assina até o fim de 2014


Com salários e comissão técnica definidos desde o começo da semana, treinador e clube acertaram detalhes finais do contrato nesta quinta

manomenezes_entrevista_rib-13.jpg_95 (1)

Mano Menezes é o novo treinador do Flamengo. Após a empatia imediata em um primeiro contato ao vivo, treinador e clube definiram questões mais importantes, como salários e composição da comissão técnica, ainda no início da semana e chegaram a um consenso em relação a detalhes do contrato nesta quinta-feira, concluindo as negociações. O Rubro-Negro desejava um acordo até o fim de 2015, mas o vínculo inicial será até 31 de dezembro 2014. O clube já fez o anúncio em seu site oficial.

– De Nação para a Nação. Ser técnico do CR Flamengo é meu novo grande trabalho. Um orgulho – disse o treinador em seu perfil oficial no Twitter.

Mano Menezes chega com o auxiliar técnico Sidnei Lobo, com quem trabalha desde 2004, e um preparador físico, conforme definido já em conversas iniciais. O Flamengo defendeu a permanência de Joelton Urtiga, preparador que trabalhava com Jorginho e passou a ser funcionário permanente do clube, e o treinador não se opôs.

O valor da remuneração de Mano Menezes foi outro ponto definido sem maiores traumas. Simpático ao projeto apresentado pelo Flamengo, como revelou no início da semana, o treinador receberá um meio-termo entre o que era pago ao seu antecessor, Jorginho, e os R$ 800 mil que Dorival Junior ganharia em reajuste ao longo do ano previsto em contrato. O montante é superior também ao que o profissional recebia da CBF.

Todo processo de negociação foi conduzido por membros do conselho gestor do rubro-negro, como os vices de marketing, Luiz Eduardo Baptista, o Bap, relações externas, Flávio Godinho, finanças, Rodrigo Tostes, e futebol, Wallim Vasconcellos. Bastante questionado internamente, o diretor executivo Paulo Pelaipe, que já trabalhou com Mano no Grêmio, não participou das tratativas.

Mano Menezes já era o nome de consenso da diretoria desde de quinta-feira passada, horas depois da demissão de Jorginho. Decidido a abrir mão da postura radical de redução de gastos, o vice de futebol, Wallim Vasconcellos, deixou o hotel onde a delegação estava hospedada em Florianópolis rumo ao Rio logo pela manhã para iniciar as tratativas. A aposta mal sucedida no tetracampeão deixou clara a necessidade de um nome de peso para conduzir a equipe no processo de reestruturação rubro-negro.

Ainda não há confirmação da apresentação oficial. Mano será o sexto treinador gaúcho do Flamengo, em lista que inclui vitoriosos como Claudio Coutinho e Paulo Cesar Carpegiani, e terá seu primeiro contato com o elenco na próxima terça-feira, no Ninho do Urubu.

Trajetória de sucesso

O primeiro trabalho de Mano à frente de uma equipe profissional aconteceu em 1997, no Guarani de Venâncio Aires-RS. Seu primeiro trabalho de destaque foi no XV de Campo Bom-RS. Em 2004, levou o clube à semifinal da Copa do Brasil, eliminando o Vasco na segunda fase do torneio, com um acachapante 3 a 0 em São Januário.

O primeiro grande clube foi o Grêmio, clube que recolocou na elite do futebol brasileiro com a conquista da Série B, em 2005. Ainda conduziu o Tricolor a um bicampeonato gaúcho (2006 e 2007) e à final da Libertadores de 2007.

No Corinthians, o auge em clubes: novamente venceu a Série B, em 2008, e no ano seguinte foi campeão paulista e da Copa do Brasil.

O sucesso no Timão alçou Mano à seleção brasileira. As conquistas com a Amarelinha se resumiram a dois Superclássicos das Américas (taças disputadas em dois jogos contra a Argentina, em 2011 e 2012). O fraco desempenho contra seleções tradicionais fez com que ele perdesse força e acabasse demitido.

Por GloboEsporte

Esportes: Começa o campeonato de veterano 2013 do Prado


O campeonato socyete de Veteranos de Prado, teve início neste domingo, (09/06), às 8 horas da manhã no Centro Esportivo Olimpio João com dois jogos. O primeiro confronto foi entre Associação X Carabau e o segundo entre 1º de Abril X Celebridade.

GEDSC DIGITAL CAMERA

Resultados da 1ª rodada:

Associação 7X0 Carabau

1º de Abril 4 X1 Celebridade

A competição está sendo organizada pela Secretaria Municipal de Turismo, Esporte, Cultura e Lazer. O secretário Carlo Casarsa e o diretor de esporte, Luciano Novais estiveram presentes na abertura.

GEDSC DIGITAL CAMERA

Para disputarem o tradicional campeonato foram inscritos dez times que formaram dois grupos. No grupo A: Carabau, Associação, Manguaça, Guarani e Maloca; no grupo B: 1º de Abril, Celebridade, União, Cumuruxatiba e Oiteiro.

As rodadas serão realizadas todos os domingos às 8 e 10 horas no Centro Esportivo Olímpio João. No próximo jogam, União X Oiteiro e Manguaça X Maloca.

Por Prado Agora

Brasil empata com a Inglaterra no reencontro com o Maracanã


Com boa atuação no primeiro tempo e dificuldades na etapa final, Seleção fica no 2 a 2. Fred abre o placar, Inglaterra vira, e Paulinho garante igualdade

maracana_ap

O Maracanã ficou pronto – ou quase. Mas a seleção brasileira dá sinais de que ainda vai demorar até edificar uma equipe confiável. No reencontro entre o principal templo do país e a camisa mais vencedora do mundo, o Brasil empatou por 2 a 2 com a Inglaterra neste domingo. Todos os gols saíram no segundo tempo. Fred abriu o placar para a Seleção, Chamberlain e Rooney viraram para o English Team, e Paulinho garantiu a igualdade.

Foi uma tarde de festa para 66 mil torcedores. E também de erros e acertos, de motivos para se animar e de avisos com os quais se preocupar. Neymar, com a camisa 10, fez ótimo primeiro tempo. E desapareceu no segundo. A torcida apoiou quase o tempo todo – mas não gostou de ver Hulk em campo e Lucas no banco.

Pelo rendimento verde-amarelo na primeira etapa, talvez o resultado tenha sido pobre. Mas é fato que a Inglaterra soube reagir. E poderia até ter vencido.

Foi o penúltimo teste do Brasil antes da Copa das Confederações. Dentro de uma semana, na Arena do Grêmio, a Seleção enfrenta a França.

O dono do time

neymar_andur

Não se escolhe uma camisa 10 como quem escolhe batatas no supermercado. Tem todo um simbolismo nisso. Não foi por acaso que Neymar, em um jogo simbólico, com esse jeitão de rito de passagem, foi ao novo campo do novo Maracanã com o novo número às costas – só o vestira uma vez, em 2011, contra a Alemanha. Todo camisa 10 parece dizer que pretende ser o dono do time. E Neymar, no primeiro tempo do jogo contra a Inglaterra, foi.

Uma pena não ter saído o gol. Para se ter uma noção da supremacia verde-amarela, o Brasil já somava 15 finalizações aos 34 minutos de jogo, contra absolutamente nenhuma dos ingleses. Neymar participou de boa parte delas, muito bem acompanhado por Oscar. Eles comandaram um time que surpreendeu ao aparecer com Hulk, em vez de Lucas, no setor ofensivo. Filipe Luís na esquerda e Luiz Gustavo no meio foram as outras novidades de Felipão.

Neymar não se aquietou. Tentou de voleio, e a zaga cortou; aproveitou falha de Johnson na pequena área, mas o goleiro Hart salvou; bateu colocado, rente ao ângulo. Filipe Luís, Oscar e Daniel Alves foram outros a arriscar a gol. Hulk, de letra, quase fez um golaço.

A torcida esteve com o time. Foi paciente. Em alguns minutos, porém, pediu Lucas – mesmo que Hulk não estivesse exatamente mal em campo. O público viu que não existiu grau de comparação entre as duas equipes. A Inglaterra só deu sinal de vida lá nos minutos finais do primeiro tempo. Walcott, livre, às costas da zaga, quase fez o crime. Julio Cesar salvou.

Quatro gols

Fred esteve um tanto sumido no primeiro tempo. Costuma ser um sinal de gol. Aos 13 minutos do segundo, um chute de Hernanes, que entrara no lugar de Luiz Gustavo, encontrou  o travessão de Hart. No rebote, apareceu o matador para matar, apareceu o goleador para fazer o gol. O camisa 9 bateu direto, de primeira: 1 a 0.

O gol foi importante. Minutos antes, parte do público havia vaiado Felipão pela escolha de tirar Oscar para a entrada de Lucas. Ele chegou a ser chamado de burro. O que a torcida queria era a saída de Hulk. Mas ele só deixaria o campo bem depois. E quando a partida já estava novamente empatada…

A Inglaterra jogou bem mais na etapa final do que no primeiro tempo. Não deixou o Brasil passear pelo campo de ataque. E resolveu ameaçar também. Aos 21 minutos, a mudança de postura teve resultado. Após bom tabelamento, Chamberlain bateu forte, no canto de Julio Cesar. Era o empate.

Um problema sensível do Brasil depois do intervalo foi a queda de Neymar. Foi como se ele tivesse usado toda sua munição nos 45 minutos iniciais. Fez falta. A entrada de Lucas não eliminou o vácuo.

O que era bom, deixou de ser; o que pareceu ruim, ficou pior. Aos 33, Rooney acertou um chute raro de fora da área, encobrindo Julio César. Golaço.

Mas o Brasil reagiu. Lucas, da direita, mandou na área. Paulinho pegou forte, de primeira.

O jogo ficou aberto. Poderiam ter saído novos gols. Mas persistiu o empate de um time menos pronto do que o estádio que ele reencontrou neste domingo.

BRASIL 2 X 2 INGLATERRA
Julio Cesar, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Filipe Luís (Marcelo); Luiz Gustavo (Hernanes), Paulinho, Oscar, Hulk (Fernando) e Neymar; Fred (Lendro Damião). Hart, Johnson (Chamberlain), Cahill, Jagielka e Baines (Ashley Cole); Carrick, Jones, Lampard e Milner; Walcott (Rodwel) e Rooney.
T: Luiz Felipe Scolari T: Roy Hodgson
Estádio: Maracanã. Data: 02/06/2013. Arbitragem: Wilmar Roldan, com Eduardo Díaz e Wilson Berrío (trio da Colômbia)
Cartões amarelos: Hulk (Brasil). Público pagante: 57.820. Renda:R$ 8.630.430,00.
Gols: Fred, aos 12, Chamberlain, aos 21, Rooney, aos 33, e Paulinho, aos 36 minutos do segundo tempo.

Por GloboEsporte

Vasco encara o Vitória em busca de redenção no Brasileiro


O time da colina tenta esquecer goleada e foca na recuperação

tenorio_marcelosadio_flickr

Bahia – O Vasco enfrenta neste sábado o Vitória, às 18h30, no Estádio Barradão, tentando apagar a péssima impressão deixada na última rodada do Campeonato Brasileiro, quando foi goleado de forma humilhante pelo São Paulo por 5 a 1.

Fora do Rio desde o início da semana, o técnico Paulo Autuori teve pouco tempo para corrigir as falhas da defesa no último jogo, quando a equipe sofreu cinco gols em 24 minutos. Resultado que deixou a torcida muito apreensiva em relação ao futuro da equipe na competição.

55atfm8s78b0s8o5sechprjsp

“Estamos com um pensamento muito positivo para o jogo, a equipe é nova e espero que esse resultado não nos afete. Vamos dar a volta por cima. Podemos mostrar que esse resultado foi atípico”, espera o experiente zagueiro Renato Silva.

Na base da conversa o técnico espera levantar o moral do grupo e trazer os três pontos de Salvador.

“Se for ver, lógico que o Vasco está um pouco atrás, mas isso não justifica passar vergonha. Se a gente escutar o que o Paulo fala e acreditar ser uma equipe que quer algo no campeonato, as coisas vão mudar”, afirmou o atacante Eder Luis, que fará novamente dupla de área com o equatoriano Carlos Tenorio.

Outro desafio vascaíno é derrubar um incômodo tabu. Nos últimos oito confrontos com o Vitória, no Barradão, o Vasco perdeu todos, sendo que nos dois últimos jogos foi goleado. Em 2008, o Leão venceu por 5 a 0 e em 2010, por 4 a 2.

Para manter a série positiva contra o Vasco, o Vitória aposta na boa fase do atacante Max Biancucchi, que já marcou três gols nos últimos dois jogos. Uma arma a mais para o time baiano que não se ilude com a má fase vascaína.

“O torcedor tem que entender que nem sempre o jogo corre a nosso favor. O adversário é forte e não se iludam com esse último jogo. É um adversário que tem um treinador experiente e que pra mim foi o melhor que tive até hoje. Nós respeitamos muito o Vasco”, disse o técnico Caio Júnior.

Fonte ODia