Candidato a vice-prefeito Edson Ramos e apoiadores divulgam pesquisa falsa onde aparece Jorginho do Guarani em 1º lugar


O candidato a vice-prefeito de Prado, Edson Chaves Ramos e apoiadores do candidato a prefeito Jorginho do Guarani, publicaram em suas redes sociais uma pesquisa falsa, onde ele aparece em primeiro lugar, com 39,75% das intenções de votos para eleições municipais. A atitude do candidato e do seu grupo político tentam incutir na mente da população que seu nome e o nome de Jorginho Loures aparecem na frente dos demais candidatos, ou seja, propagou informação falsa, as chamadas “fakenews”.

Apesar do candidato e do seu grupo político alegar que foi uma pesquisa ‘‘registrada’’, tratar-se de divulgação de pesquisa eleitoral inexistente ou seja (fraudulenta), o que configura ilícito eleitoral, porquanto a pesquisa referida não possui o prévio registro das informações no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na pesquisa divulgada, pelo grupo de Jorginho do Guarani, ele aparece na frente dos candidatos Gilvan (34,94%), Luciano (14,06%) e Vidal (0,1%).

A coligação Junto com a Força do Povo, integrada pelos partidos; PSD, PT, REPUBLICANOS, REDE e PCdoB entrou com uma representação eleitoral contra Diógenes Ferreira Loures, o “Jorginho do Guaran”, Edson Chaves Ramos e o vereador Brenio Pires de Oliveira e também contra a empresa DOXA Instituto de Pesquisas (Boas e Boas Consultoria de Pesquisas EIRELLI). Clique e veja a representação judicial (REPRESENTAÇÃO – PESQUISA ELEITORAL – AJUIZAMENTO).

Os representados e seus correligionários divulgaram em redes sociais (facebook e grupos de Whatsapp) uma pesquisa eleitoral com o carimbo ‘‘registrada’’ feita pela empresa representada. Acontece que quando consultado no link do site do Tribunal Superior Eleitoral, se verifica que a referida pesquisa não se encontra REGISTRADA no TSE, requisito primário para a validade da mesma.

Assim, ao tentar espalhar uma fake News, o Grupo de Jorginho do Guarani, tenta mais uma vez implantar na mente dos pradenses que está em primeiro lugar das pesquisas, fato esse que não condiz com a verdade.

Os comentários estão desativados.